O canal SescTV estreia, em 13 de dezembro, às 23h, a série Índios em Movimento, dirigida por Marco Altberg. Com oito episódios, a série exibirá debates com líderes indígenas e especialistas, de aproximadamente 20 minutos cada, para, em seguida, veicular um documentário sobre o tema. A ideia é promover a reflexão sobre os povos indígenas e suas questões históricas, sociais, culturais, políticas e ambientais. Os oito episódios serão exibidos diariamente, até o dia 20 de dezembro.

Os debates foram ambientados no interior da Oca Hunikuin, instalada no Parque Laje, no Rio de Janeiro. Têm participação da antropóloga Betty Mindlin; do líder indígena Ailton Krenak; do antropólogo e cineasta Vincent Carelli; e de Felipe Milanez, jornalista e ativista dedicado às causas indígenas.

Os filmes a serem exibidos na série foram realizados em diferentes momentos históricos do país. As películas apresentam a relação dos índios com os sertanistas desde a época de Rondon, o contato dos índios isolados com o homem branco, a organização das comunidades indígenas até a aculturação destes povos.

No primeiro programa da série, Rondon, Amor, Ordem e Progresso, o tema motivador será o olhar do não-índio a partir do trabalho do Marechal Rondon. Ilustrado por imagens da época, o programa traça o perfil do homem que escreveu sua história junto com as demarcações de nossas fronteiras. Após o debate, será exibido na íntegra o documentário Rondon, Amor, Ordem e Progresso, dirigido por Marco Altberg. O filme resgata a trajetória de vida do sertanista, contada em depoimentos de estudiosos e seguidores, como Darcy Ribeiro e os irmãos Villas Bôas.

Rodrigo acredita nos homens; Ciça conversa com plantas. Ele precisa de conselhos; ela, de sossego. Eles dividem o mesmo teto, mas não a mesma cama. O casal separado, que mora junto, e seu filho adolescente, Mateus, vivem aparentemente como uma família convencional até a chegada de uma hóspede inesperada: Leila, a amante de Rodrigo. Essa nova moradora mexe com a vida de todos, fazendo-os redescobrir a si próprios e a relação entre eles.

A história dessa família, que mistura drama, romance e comédia, e trata até de corrupção, é o mote de Até que a Casa Caia, longa do diretor Mauro Giuntini, filmado em Brasília, que estreia em 10 de dezembro, depois de ter participado do 39º World Film Festival, em Montreal (Canadá), e encerrar a última edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, em setembro.

Marat Descartes (de “Dois Coelhos” e “Quando Eu Era Vivo”) e Virginia Cavendish (de “Lisbela e o Prisioneiro” e “Califórnia”) interpretam o casal separado, que vive sob o mesmo teto com o filho Mateus (Emanuel Lavor) e Marisol Ribeiro faz o papel da amante.

Os diretores Ana Petta (Repare Bem), André Michiles (Através), Fabio Bardella (Através) e Vandré Fernandes (Camponeses do Araguaia) integram o coletivo cinematográfico Gameleira, responsável pela produção do documentário Osvaldão. O Gameleira utiliza os recursos gerados por um financiamento coletivo via internet para levar Osvaldão aos cinemas de sete Estados brasileiros.

No dia 10 de dezembro, o longa-metragem chega aos cinemas de São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Porto Alegre (RS). Belo Horizonte (MG) e Salvador (BA) recebem o documentário no dia 17 e, em Recife (PE) e Fortaleza (CE), no mês de janeiro.

Negro, porte de atleta e campeão de boxe, Osvaldo Orlando da Costa foi um dos principais comandantes da Guerrilha do Araguaia, movimento de resistência à ditadura militar, entre fins da década de 1960 e meados de 1970. Foi temido pelos militares e o seu nome virou lenda na região. Moradores contam mitos, dizem que Osvaldão desviava de bala e se transformava em pedra e cupinzeiro.

O documentário resgata a trajetória do guerrilheiro, nascido em Passa Quatro (MG). Os diretores colheram depoimentos de familiares em sua cidade natal e de amigos na capital fluminense, onde Osvaldão estudou. Militantes, mateiros e militares contam sobre o seu ingresso e a sua liderança na guerrilha. O filme traz ainda raras e exclusivas imagens do guerrilheiro em Praga, antiga Tchecoslováquia, durante uma excursão de estudantes.

O músico Criolo empresta voz ao Osvaldão no documentário, que tem participação de outros artistas como Leci Brandão, Antônio Pitanga, Flávio Renegado e Fernando Szegeri.

Osvaldão é uma produção independente que levou dois anos para ser realizada. Após os processos de pesquisa, filmagem, montagem e finalização, com gravações no Rio de Janeiro, Pará, Tocantins e Minas Gerais, o filme teve sua primeira exibição na 38ª Mostra de Cinema de São Paulo. A realização é da Fundação Mauricio Grabois, Clementina Filmes e Estrangeira Filmes.

Foi firmado um acordo de cooperação técnica entre a ANCINE e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), autarquia federal responsável por investigar e decidir sobre questões relativas à defesa da concorrência.

O objetivo do convênio é juntar esforços e articular as atuações de ambos os órgãos para a promoção e a defesa da livre concorrência no mercado audiovisual, por meio da regulação, do monitoramento e da fiscalização mais eficiente dos setores econômicos envolvidos.

O convênio foi assinado pelo diretor-presidente da ANCINE, Manoel Rangel, e pelo presidente do Cade, Vinícius Marques Carvalho.

Na cooperação técnica estão previstas, entre outras ações, troca de documentos e informações; compartilhamento de bancos de dados, relatórios, diagnósticos e estatísticas; realização conjunta de estudos e pesquisas; e reuniões, encontros, workshops e visitas técnicas.

O acordo entre ANCINE e Cade terá duração de três anos, podendo ser renovado por períodos sucessivos.

A Universal Pictures Brasil divulgou um novo featurette de “À Beira Mar”, play protagonizado pelo casal Angelina Jolie (“Malévola”) e Brad Pitt (“Corações de Ferro”). Confira:

Escrito e dirigido por Jolie, o longa é ambientado na década de 1970, o longa acompanha o escritror norte-americano Roland (Pitt) e sua esposa, Vanessa (Jolie). Em meio a uma crise no casamento, os dois partem para um belo e tranquilo resort no litoral francês. Conforme o casal passa dash com outros viajantes – que incluem os recém-casados Lea (Mélanie Laurent, de “O Homem Duplicado”) e François (Melvil Poupaud, de “Laurence Anyways”) – e os locais Michel (Niels Arestrup, de “O Palácio Francês”) e Patrice (Richard Bohringer, de “O Grande Encontro”), Roland e Vanessa começam a resolver as pendências em suas próprias vidas.

“By a Sea” estreou essa semana no Brasil.

Saiba mais sobre: , ,


Últimas sobre o assunto: