Com tantos filmes, personagens e crossovers no universo da Marvel, o site cnet.com teve a ótima ideia de fazer uma lista colocando em ordem cronológica as produções do estúdio.

Estranhamente, os principais eventos da Marvel começam com ’Capitão América: O Primeiro Vingador’, depois passam pela série ‘Agent Carter’ e vão culminar no mega aguardado ‘Vingadores: Guerra Infinita‘.

Vídeo presta tributo ao universo cinematográfico da Marvel

Revelados easter eggs dos filmes da Fase 2 da Marvel

Saiba a ordem correta em que os filmes e séries do estúdio devem ser assistidos:

1. Capitão América: O Primeiro Vingador

2. Agent Carter

3. Homem de Ferro

4. O Incrível Hulk

5. Homem de Ferro 2

6. Thor

7. Os Vingadores

8. Homem de Ferro 3

9. Agents of SHIELD (1ª Temporada – Episódios 1-7)

10. Thor: O Mundo Sombrio

11. Agents of SHIELD (1ª Temporada – Episódios 8-15)

12. Capitão América: O Soldado Invernal

13. Agents of SHIELD (1ª Temporada – Episódios 16-22)

14. Guardiões da Galáxia

15. Guardiões da Galáxia – Vol. 2

15. Agents of SHIELD (2ª Temporada – Episódios 1-19)

16. Demolidor (1ª temporada)

17. Vingadores: Era de Ultron

18. Thor: Ragnarok

19. Agents of SHIELD (2ª Temporada – Episódios 20-22)

20. Homem-Formiga

21. Agents of SHIELD (3ª Temporada)

22. Jessica Jones (1ª temporada)

23. Demolidor (2ª temporada)

24. Doutor Estranho (Início)

25. Capitão América: Guerra Civil

26. Homem-Aranha: De Volta ao Lar

27. Agents of S.H.I.E.L.D.: Slingshot

28. Luke Cage (1ª temporada)

29. Agents of SHIELD (4ª Temporada)

30. Punho de Ferro

31. Agents of SHIELD (5ª Temporada)

32. Os Defensores

33. Pantera Negra

34. Vingadores: Guerra Infinita

 

Os 13 Melhores Filmes da Marvel Studios 

Já o CinePOP compilou para você as próximas datas de estreias da Marvel ATUALIZADAS. Confira:

MARVEL STUDIOS

 

Thor: Ragnarok (2 de Novembro de 2017 no Brasil e um dia depois nos EUA)

Vingadores: Guerra Infinita (4 de Maio de 2018 nos EUA)

Pantera Negra (16 de Fevereiro de 2018 nos EUA)

– Homem-Formiga e a Vespa (6 de Julho de 2018 nos EUA)

Capitã Marvel (6 de Março de 2019 nos EUA)

Vingadores 4 (3 de Maio de 2019 nos EUA)

– Título a ser anunciado (30 de abril de 2020)

– Título a ser anunciado (9 de julho de 2020)

– Título a ser anunciado (5 de novembro de 2020)

ATÔMICA: Sofia Boutella fala sobre cena de sexo com Charlize Theron

» Siga o CinePOP no Facebook e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema! «

Invencível’, segundo filme de Angelina Jolie como diretora, vai ganhar uma sequência.

Segundo o Moviehole, a história será baseada na segunda parte do livro escrito por Laura Hillenbrand, intitulado ‘Unbroken: Path to Redempetion‘.

Jolie não retorna para a direção, sendo substituída por Harold Kronk (‘Deus Não Está Morto’).

O elenco também sofreu alteração: Samuel Hunt (‘Blood Ransom’) substitui Jack O’Connell como o protagonista.

Indicado a 3 Oscars, mas concorrendo apenas em categorias técnicas, o primeiro filme acabou sendo esnobado pela Academia

 

Angelina Jolie está revoltada com o Globo de Ouro por causa de ‘Invencível’

Desde a sua publicação em 2010, ‘Invencível‘ esteve por mais de 145 semanas na lista de best-sellers do The New York times, sendo 14 deles na primeira posição, e vendeu quase 3,5 milhões de cópias em todo o mundo. Uma versão do livro para jovens será publicada pela Random House na próxima primavera.

ATÔMICA: Sofia Boutella fala sobre cena de sexo com Charlize Theron

» Siga o CinePOP no Facebook e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema! «

A Warner Bros. divulgou um novo vídeo de ‘Mulher-Maravilha‘, que traz a carismática personagem Etta Candy relembrando a história de Steve Trevor.

Assista:

 

A primeira adaptação solo da ‘Mulher-Maravilha‘ continua a atingir grandes marcas no cinema e desta vez conquistou o posto mais alto, se consagrando como a maior bilheteria do verão norte-americano de 2017. A informação foi revelada pelo portal Deadline.

Essa vitória colocou a Warner Bros. a frente de todos os grandes estúdios, abocanhando a surpreendente marca de US$ 790 milhões apenas nos Estados Unidos, deixando outros sucessos como ‘Dunkirk‘ e ‘Annabelle 2: A Criação do Mal‘ para trás.

Ao também se tornar a quinta maior bilheteria de super heróis nos EUA, com US$ 409,4 milhões, ‘Mulher-Maravilha‘ alavancou ainda mais a Warner, deixando para trás grandes blockbusters do gênero, como ‘Capitão América: Guerra Civil‘, ‘Homem-Aranha‘ e ‘Homem de Ferro 3‘. Em 2017, a heroína de Themyscira ainda segue firme como o segundo maior filme do ano, ficando atrás apenas de ‘A Bela e a Fera‘.

Embora tenha ficado relativamente atrás, o filme de guerra de Christopher Nolan, ‘Dunkirk‘, teve uma excelente bilheteria ao longo do período de férias americana. Com US$ 180,3 milhões arrecadados, o cineasta conseguiu se firmar como um nome forte e convidativo para os cinemas.

Dunkirk‘ também superou uma franquia blockbuster que já foi bem queridinha entre os fãs. ‘Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar‘ não conseguiu manter o status dos primeiros filmes e teve uma baixa significativa, faturando apenas US$ 172,3 milhões.

 

 

 

ATÔMICA: Sofia Boutella fala sobre cena de sexo com Charlize Theron

» Siga o CinePOP no Facebook e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema! «

Pennywise está tocando o terror nas bilheterias americanas. ‘It – A Coisa‘ faturou US$ 13.5 milhões nas sessões de pré-estreias realizadas nessa quinta-feira, e chegou a impressionantes US$ 51 milhões na sexta-feira.

Após bater o recorde de maior pré-estreia, que pertencia aos US$ 12.7 milhões de ‘Deadpool‘, agora o filme caminha para se tornar a maior abertura de um filme de terror de toda a história.

A expectativa é que o filme arrecade em torno de US$ 100 milhões em seu primeiro fim de semana na bilheteria dos EUA, batendo também o recorde de maior abertura para o mês de Setembro, que pertencia aos US$ 48 milhões arrecadados por ‘Hotel Transilvânia 2‘ em 2015.

O recorde anterior pertencia a ‘Deadpool‘, com US$ 12.7 milhões.

O filme também já tem a maior bilheteria de estreia para uma produção com classificação indicativa R, que nos EUA significa para maiores de 17 anos.

‘It – A Coisa’ e as Melhores Adaptações de Stephen King

Leia nossa crítica EM TEXTO:

Crítica | It: A Coisa – Drama com toques de terror que diverte mais do que assusta!

A Coisa‘ mostra o Clube de Perdedores lutando contra Pennywise pela primeira vez, enquanto ainda adolescentes. Uma promessa feita há vinte e oito anos chama sete adultos para se reunirem em Derry, Maine, onde, enquanto adolescentes, lutaram contra uma criatura maligna que atacava as crianças da cidade. Não tendo a certeza de que seu Clube de Perdedores havia vencido a criatura todos aqueles anos atrás, os sete haviam jurado retornar a Derry se o Pennywise reaparecesse.

Palhaços que estão assustando moradores nos EUA não têm ligação com ‘It – A Coisa’ 

ATÔMICA: Sofia Boutella fala sobre cena de sexo com Charlize Theron

» Siga o CinePOP no Facebook e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema! «

Direto do TIFF, festival de Toronto

O que aconteceu com Alexander Payne?

Todo mundo erra, até grandes cineastas. E Alexander Payne é sem dúvida um dos grandes da atualidade. Para quem não acredita ou não conhece, é só dar uma olhada no currículo do sujeito, repleto de produções de prestígio, vide Sideways – Entre Umas e Outras (2004), Os Descendentes (2011) e o último trabalho, até então, Nebraska (2013) – todos indicados ao Oscar na categoria principal. E como chamamos um diretor que tem em menos de dez anos três filmes indicados? Bem, podemos chamá-lo de Alexander Payne.

Payne era, além disso, um destes cineastas invictos, sem nada em seu histórico que manchasse sua carreira. Bem, era até agora. Os quatro anos que separaram seus últimos longas, apresentam ‘Pequena Grande Vida‘ (Downsizing), o novo trabalho, como sua obra mais ambiciosa. O conteúdo desta primeira ficção científica de sua filmografia não deixa mentir. Na trama, cientistas descobrem um procedimento que encolhe seres humanos, animais, plantas e objetos de todo tipo, a um tamanho minúsculo.

A maior descoberta da humanidade desde que o homem pisou na lua, como afirma o personagem principal, terá inúmeras vantagens para a sociedade e nossa espécie, entre elas a melhoria no meio ambiente, menos poluição e lixo, além de se mostrar um fator decisório economicamente para os que optarem viver de tal forma diminuta. Este é o trecho mais interessante de ‘Pequena Grande Vida‘, que deveria ter concentrado suas energias em desenvolver este tema, já que é vendido como o cerne da produção, como mostram as prévias e sinopse.

Pequena Grande Vida‘ é um filme que nos ludibria. Vende uma coisa e entrega diversas outras, menos o que compramos. Nesses casos, se o que recebemos for tão bom quanto (ou melhor) o que esperávamos, a confusão terá valido a pena. Não é o que ocorre aqui. O novo trabalho de Payne soa inacabado, dono de uma montagem errática, onde muitas subtramas brigam por atenção e a maioria morre na praia. O novo longa de Payne é desorganizado e desfocado, personagens são esquecidos pelo caminho e outros surgem do nada ganhando toda atenção. E assim o filme vai contando outra história ao ponto de nos perguntarmos: o que estávamos assistindo mesmo?

Um bom exemplo disso é a abertura do filme, numa cena na qual o protagonista Matt Damon (coitado, mas não é como se já não tivesse tido sua cota de “bombas”) cuida da mãe doente. A cena é completamente desnecessária e desligada do resto do filme. Mais para frente um breve diálogo resolveria (e resolve mesmo!) esta cena inteira, sem que fosse necessário os minutos somados a excessiva duração, de mais de 130 minutos. Matt Damon soa perdido, tentando dar tudo de si na pele do maior loser de sua carreira.

Jason Sudeikis e Kristen Wigg, bons comediantes em papeis sérios, são dois que o roteiro joga para escanteio sem cerimônia, enquanto ficamos pensando que seus personagens serão essenciais para a trama. Não, foram apenas nota de rodapé. E aí chega Christoph Waltz do nada, e não reclamamos tanto, já que o rouba cenas é a melhor coisa do filme, num papel diferente de tudo que já fez – ainda bem! Hong Chau, de Vício Inerente (2014), soa como unhas no quadro negro, representando um estereotipo sem graça, que não sabe muito o tom que deseja ter, navegando de forma destrambelhada entre o humor e o drama.

Downsizing é aquele tipo de filme que deseja falar sobre muitas coisas e termina falando sobre nada. Tenta ser uma sátira sobre a economia norte-americana e mundial, e até começa bem – os trechos com Damon e Wiig são os melhores – mas depois resolve ser um filme humanitário, uma viagem lisérgica e até mesmo um filme apocalíptico, acredite. Existem diretores que ainda se mantém invictos, outros morreram invictos, vide Stanley Kubrick, mas hoje, Alexander Payne sofreu sua primeira derrota. Sinto informar.

ATÔMICA: Sofia Boutella fala sobre cena de sexo com Charlize Theron

» Siga o CinePOP no Facebook e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema! «