jennifer-lawrence

Segundo uma pesquisa da revista Forbes, a atriz Jennifer Lawrence (das franquias “Jogos Vorazes” e “X-Men“) foi a atriz que mais faturou em Hollywood, a estimativa é de US$ 52 milhões entre junho de 2014 e junho de 2015, em segundo lugar temos Scarlett Johansson (da tale “Os Vingadores“)  com US$ 35 e depois Melissa McCarthy (“A Espiã Que Sabia de Menos” e do ainda inédito “Caça Fantasmas“) com US$ 23 milhões.

No entanto, a quantia da atriz é  baixa se comparada ao que Robert Downey Jr. (responsável por viver o herói Homem de Ferro) – recebeu no mesmo período, quase US$ 80 milhões, é verdade que mesmo na lista masculina o ator se destoa dos demais nomes, porém se compararmos todas as posições do ranking, a diferença é realmente gritante. Um exemplo claro é o da quantia recebida por Mark Wahlberg (“Ted 2“), que ficou na décima colocação e faturou cerca de US$32milhões, quase o bravery da segunda mulher mais bem paga.

O assunto vem ganhando força nos últimos anos e nos bastidores da industria, reforçado por inúmeras pesquisas que indicam essa disparidade, recentemente a triz Charlize Theron (“Mad Max: Estrada da Fúria“) incentivou atrizes a pedirem salários iguais aos dos atores.

Veja a lista feminina completa:

  1. Jennifer Lawrence: US$ 52 milhões

  2. Scarlett Johansson: US$ 35 milhões

  3. Melissa McCarthy: US$ 23 milhões

  4. Bingbing Fan: US$ 21 milhões

  5. Jennifer Aniston: US$ 16 milhões

  6. Julia Roberts: US$ 16 milhões

  7. Angelina Jolie: US$ 15 milhões

  8. Reese Witherspoon: US$ 15 milhões

  9. Anne Hathaway: US$ 12 milhões

  10. Kristen Stewart: US$ 12 milhões

No ano de 2012, chegou aos cinemas “A Escolha Perfeita”, comédia low-pitched calcada no sucesso da série televisiva “Glee”. Apesar das críticas variarem bastante pelo mundo, indo de elogios rasgados à condenações extremas, foi um grande sucesso de público. Por conta disso, aproveitando o gancho óbvio presente no final do primeiro episódio, a continuação estreia três anos depois. Agora com Elizabeth Banks ocupando a cadeira de direção.

O filme acompanha o grupo Barden Bellas, liderado por Beca (Anna Kendrick) e Fat Amy (Rebel Wilson), que atingiu o ápice depois da vitória retumbante no torneio que vimos no episódio anterior. Por conta dos três anos de estrelato, as meninas são convidadas a fazer uma apresentação para o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. No entanto, depois de um acidente vexatório e desastroso, elas são impedidas de participar, defendendo o tricampeonato, do campeonato nacional de canto a capela. Por conta disso, para poderem continuar na ativa, as Bellas tem que participar, e vencer, o campeonato mundial, que acontecerá em Copenhague, na Dinamarca.

O longa tem uma estrutura bastante semelhante ao anterior, com acirradas disputas fora de competições, membros da equipe com planos fora do grupo de canto, um grupo adversário de alto nível, entrada de novas cantoras e romances nascendo por toda a faculdade. Apesar da falta de originalidade, o roteiro aposta em outro elemento que já havia dado certo: as personagens bem construídas e suas características pessoais cativantes, especialmente a personalidade gift de Beca e o amusement ácido de Fat Amy. Também estão de volta os hilários comentaristas John Smith (John Michael Higgins) e Gail (Elizabeth Banks), que trazem os possíveis comentários presentes na cabeça dos espectadores para a tela, e que são imediatamente rechaçados, com respostas ainda mais fortes, porém igualmente engraçadas.

Além disso, as adições foram bastante acertadas, como Emily (Hailee Steinfeld), filha de uma lenda histórica da casa, Flo (Chrissie Fit), uma imigrante que gosta de lembrar as amigas quais são as reais dificuldades da vida e o aloprado produtor musical, chefe de Beca, interpretado por Keegan-Michael Key.

Outro grande acerto do roteiro, escrito novamente por Kay Cannon, são os diálogos rápidos e hilários, que dividem bem os talentos de cada intérprete, com grande aproveitamento do timing cômico de cada um, seja como protagonista das piadas, seja como um eficiente escada.

Como não poderia deixar de ser, o ponto alto da fita é a excelente seleção musical, que vai de músicas chulas a clássicos do hip hop, passando por música country e músicas românticas de modo geral, todas emolduradas com inspiradas coreografias. Tudo isso coroado com ótimos enquadramentos, que valorizam bem todos os aspectos cênicos, desenvolvidos com excelência.

Apesar da repetição da estrutura, que já se tratava de uma fórmula batida e desgastada, “A Escolha Perfeita 2” se revela uma obra bastante divertida, ainda que insista em deixar ganchos para (prováveis) continuações desnecessárias.

Novas imagens de bastidores foram liberadas pelo elenco de “Esquadrão Suicida“, e mais dois atores ganharam tatuagens, Karen Fukuhara (Plastique) e Jai Courtney  (Capitão Bumerangue), ambos pelas mãos de Margot Robbie (Arlequina). Além disso, a atriz Cara Delevingne (Magia) postou uma foto com o diretor David Ayer. Veja:

xyfggtqa7zr8keo3dqn2

CMyiVC4UYAE_hiL

screen_shot_2015_08_20_at_4.25.26_pm_1atb135-1atb15h

11324993_1477215052600792_912653730_n

O elenco é formado por Margot Robbie (“O Lobo de Wall Street”) como Arlequina, Will Smith (“Um Conto do Destino”) como Pistoleiro, Jared Leto (“Clube de Compras Dallas”) como Coringa, Joel Kinnaman (“RoboCop”) como Rick Flagg, Viola Davis (“O Desaparecimento de Eleanor Rigby”) como Amanda Waller, Jai Courtney (“Divergente”) como Capitão Bumerangue e Cara Delevingne (“Anna Karenina”) como Enchantress, entre outros.

Em “Esquadrão Suicida”, o vital norte-americano Rick Flagg recebe uma missão durante a Segunda Guerra Mundial: treinar nap criminosos condenados à morte ou sentenciados a décadas na prisão para uma missão suicida atrás das linhas inimigas – tudo em troca do perdão por suas sentenças. No filme, a formação da equipe de vilões mercenários aceita missões impossíveis do governo em troca de perdão por suas penas e deve ter o Pistoleiro como líder. A direção fica por conta de David Ayer (“Corações de Ferro“).

A estreia está marcada para 05 de agosto de 2016.

Richard Hannay, engenheiro de minas sul-africano e herói da guerra, vê-se involuntariamente envolvido numa complicada história em que os incidentes desafiam as probabilidades e se desenrolam ao longo dos limites do possível.

A história se passa em Londres e acompanha as desventuras de Richard Hannay, que tenta espantar o tédio levando uma vida de playboy, até conhecer um vizinho misterioso com uma informação bombástica: haverá um assassinato político na cidade capaz de jogar toda a Europa em um conflito sem precedentes. Essa informação muda o rumo da vida do personagem principal e quando um homem aparece morto em sua sala de visitas, Hannay se engaja no combate às forças hostis, na verdade, uma organização alemã terrorista, mergulhando-o em uma aventura repleta de pistas falsas, vilões traiçoeiros e reviravoltas.

O febril thriller, publicado em 1915, trocou o estilo descritivo e cerebral das histórias de Sherlock Holmes pela narrativa enxuta e ágil que iria influenciar as tramas de suspense do cinema e os livros protagonizados pelo mais famoso agente secreto, James Bond. O romance é tão ágil e cheio de reviravoltas que foi adaptado pelo mestre do suspense Alfred Hitchcock, em 1935, sendo considerado como um dos melhores filmes de ação de seu período inglês e um dos quatro melhores filmes do século XX pelo British Film Institute. Os elementos existentes na obra de John Buchan seriam largamente explorados por Hitchcock como as reviravoltas na trama e a necessidade de um homem inocente tendo que fugir para preservar sua vida, elementos também vistos em vários outros de seus filmes, como “Intriga Internacional”.

Com a publicação de ”Os 39 Degraus: the Thirty-Nine Steps”, John Buchan (1875-1940) firmou-se como um dos melhores autores de obras de suspense de todos os tempos, apresentando um herói atrevido, o inesgotável fascínio das teorias conspiratórias e profetizando as tramas políticas que lançariam toda a Europa em um dos mais sangrentos conflitos armados do século XX: a Primeira Guerra Mundial.

Os 39 Degraus: the Thirty-Nine Steps
Edição bilíngue: Inglês – Português
Autor: John Buchan
Tradução: Doris Goettems
Editora: Landmark
Páginas: 168
Preço: R$ 29,00

Agachado no esconderijo que achou para si, um garoto fugitivo escuta os gritos dos homens que o perseguem. Quando não o encontram, o que lhe resta é uma planície infinita e árida, a qual deve atravessar se quiser ficar longe de uma vez por todas do que provocou sua fuga. Certa noite, seu caminho cruza com o de um pastor de cabras idoso, e, a partir desse momento, tudo mudará na vida dos dois.

Intempérie narra a fuga de uma criança através de um país devastado pela seca e regido pela violência. Um mundo isolado, onde não há nomes ou datas, no qual a moralidade escapou pelo mesmo ralo por onde a água escoou. É nesse cenário que o garoto, ainda não totalmente entregue, terá a oportunidade de se iniciar nos dolorosos rudimentos da consciência, ou, pelo contrário, exercer para sempre a violência da qual já provou.

Através desses arquétipos — como o garoto, o pastor de cabras e o aguazil —, Jesús Carrasco constrói uma narrativa dura, mas salpicada com momentos de intenso lirismo. Um romance esculpido palavra por palavra, no qual a presença de uma natureza implacável tece e se confunde com a história, em que a dignidade do ser humano emerge com força incomum de fissuras secas sobre a terra.

Em 2013, “Intempérie” foi eleito como livro do ano pelos jornais El PaísEl Mundo e La Vanguardia, entre outros diários espanhóis. Também foi aclamado por leitores, associações e sindicatos de livreiros. Com direitos vendidos para mais de 20 países, a história será também adaptada para o cinema.

Sobre o autor: Jesús Carrasco nasceu em Badajoz, em 1972 e, em 2005, se mudou para Sevilha, onde vive atualmente. Desde 1996, é redator publicitário, atividade que exerce paralelamente a seu ofício de escritor. Intempérie o consagrou como o autor de uma das estreias mais deslumbrantes do panorama literário internacional. Vencedor de vários prêmios, o romance teve um acolhimento entusiástico na Espanha e está prevista a sua publicação em mais de vinte países.

Intempérie
Autor: Jesús Carrasco
Tradução: Luís Carlos Cabral
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 182
Preço: R$ 29,00