imageParabéns para os produtores da série “Atividade Paranormal”. Ora, somados os sete (!) filmes da franquia custaram módicos (para os padrões hollywoodianos) dezoito milhões de dólares e renderam nas bilheterias mundiais mais de oitocentos milhões. Em matéria de números, o sucesso da série é inegável.

No entanto, o que começou com uma história simples de fantasmas acabou culminando em uma cronologia impossivelmente complexa, incluindo até mesmo viagens no dash (!!!). Feito com a intenção de ser o último longa da série, este “Atividade Paranormal – Dimensão Fantasma” consegue complicar ainda mais a confusa cronologia da história, além de manter a mesma fórmula cansada dos seus predecessores.

A história se passa em 2013, onde novamente vemos uma família que acabou de se mudar para uma casa sendo atormentada pelo demônio/fantasma/entidade Toby. Desta vez é a vez da família Fleeges ser assombrada, com a filha pequena do casal principal, Leila (Ivy George) sendo o alvo do ser sobrenatural.

A trama segue de maneira idêntica aos demais longas da franquia, com os Fleeges aos poucos percebendo com o que estão lidando, através de fitas deixadas pelos antigos moradores da casa. O diferencial está na câmera customizada encontrada na casa pelo pai de Leila, Ryan (Chris J. Murray). O equipamento permite ver relances tridimensionais do que está perseguindo sua família.

O 3D, aliás, foi o que fez com que o orçamento da fita fosse adiado algumas vezes, além de ter inchado o orçamento da produção, transformou “Atividade Paranormal – Dimensão Fantasma” no mould mais picareta da série até aqui, com a técnica sendo “usada” – entre aspas mesmo – apenas em alguns rápidos momentos da projeção.

Você pode passar 90% do dash sem os óculos e sua experiência não será afetada. O 3D só swell quando as manifestações sobrenaturais aparecem e, quem conhece o histórico da franquia sabe que isso acontece pouquíssimas vezes. Ou seja, você estará pagando um ingresso mais caro sem motivo algum.

O óbvio em qualquer fita do gênero seria a identificação entre público e personagens para que a audiência passasse a temer pelo destino daquelas pessoas na tela. O problema é que a família Fleeges e agregados são deveras desinteressantes. Não fosse pela boar opening da pequena Ivy George, os dois primeiros terços da projeção poderiam facilmente ser receitados como sonífero.

Acompanhar as filmagens de Ryan trademark se torna cansativo porque não existe nada interessante sendo mostrado. Sim, no terceiro ato temos alguns sustos e até mesmo algum gore, mas aguentar o longa até lá se mostra uma tarefa hercúlea. Um fim (?) melancólico para uma das franquias mais rentáveis da história do cinema.

Saiba mais sobre:


sherlock-special-movie

Depois de dois anos longe das telinhas, um dos seriado mais aclamados pela crítica voltará em janeiro de 2016, para a alegria de seus fãs, a famosa dupla Sherlock e Watson (interpretados respectivamente por Benedict Cumberbacth e Martin Freeman) protagonizarão um individual de natal intitulado “The Abominable Bride“. A BBC liberou o trailer oficial recentemente. Assista:

A trama de “A Noiva Abominável” (tradução literal), terá 90 minutos e será ambientada na Inglaterra vitoriana. O episódio será lançado nos Estados Unidos e no Reino Unido no dia 1º de janeiro de 2016, e em diversos cinemas, assim como o que ocorreu com Doctor Who.

O episódio individual acompanhará Sherlock (Cumberbatch) e Watson (Freeman) em meio a uma guerra motivada pelo medo dos homens, envolvendo-se numa trama de mistério que se torna ainda mais obscura numa Londres do século XIX mergulhada em sombras.

Já a aguardada quarta temporada da série, deveria retornar no começo de 2016, após um hiato de dois anos como de costume, porém tanto Cumberbatch quanto Freeman estão com as agendas lotadas, com projetos como Doutor Estranho a Capitão América: Guerra Civil, portanto as filmagens da nova temporada serão feitas no segundo semestre de 2016, com estreia prevista para início de 2017.

Saiba mais sobre: , ,


Últimas sobre o assunto:

Da criatura sombria e assustadora, imortalizada no cinema por F. W. Murnau em “Nosferatu” (1922), ao casal melancólico de “Amantes Eternos” (2014), de Jim Jarmursch, a figura do vampiro é uma constante na cultura ocidental, em especial no cinema. Esses seres imortais, que se alimentam de sangue e queimam a luz do sol, já renderam muitos filmes interessantes, dos mais diversos gêneros e estilos. Homenageando esses personagens tão atraentes e, ao mesmo tempo, tão repulsivos, a Biblioteca Viriato Corrêa, em São Paulo, apresenta a mostra “Vampiros Eternos”, de 6 a 27 de novembro, com sessões gratuitas.

Entre os destaques, está “Nosferatu, o Vampiro da Noite”, refilmagem de Werner Herzog para o clássico de Murnau, considerado o primeiro filme de vampiro da história. Ambos foram baseados no romance “Drácula”, escrito por Bram Stoker. O livro também influenciou outro longa-metragem exibido na mostra: “Drácula de Bram Stoker”, dirigido por Francis Ford Coppola, que abre a mostra no dia 6. O filme de Herzog será exibido no dia 21.

Dirigido por Roman Polanski, a comédia “A Dança dos Vampiros” é uma sátira dos filmes de terror e traz o próprio diretor atuando como o ajudante de um caçador de vampiros. Os dois tentarão resgatar Sarah (Sharon Tate), que é sequestrada por um vampiro. Esta foi a única ocasião em que o casal formado por Sharon e Polanski contracenou junto – a atriz, que estava grávida do cineasta polonês, foi assassinada em 1969, dois anos após o lançamento do longa-metragem.

O mais recente filme exibido na mostra é “Amantes Eternos”, de Jim Jarmursch. Estrelada por Tilda Swinton e Tom Hiddleston, a obra conta a história de Adam e Eve (Adão e Eva, em inglês), um casal de vampiros que vive certo saudosismo da vida e da cultura do passado. A rotina tranquila e entediante do casal será atrapalhada pela chegada de Ava (Mia Wasikowska), irmã mais nova de Eve.

A Biblioteca Pública Viriato Corrêa fica na Rua Sena Madureira, 298, Vila Mariana, zona sul de São Paulo. Mais informações pelos telefones 5573-4017 e 5574-0389. A programação completa dos filmes pode ser conferida no site www.prefeitura.sp.gov.br/cultura.

“Cidade de Deus – 10 Anos Depois”, dirigido por Cavi Borges e Luciano Vidigal, procura mostrar os diferentes resultados e transformações vividas por esses atores e o que mudou ao longo da última década após a repercussão mundial do filme de Fernando Meirelles. Conta com entrevistas dos atores Seu Jorge, Alice Braga, Leandro Firmino da Hora, Darlan Cunha, Roberta Rodrigues, Douglas Silva, entre outros, e participações musicais dos grupos Melanina Carioca, Trio Ternura e Racionais Mc´s.

O documentário não pretende apenas mostrar a vida dos atores nas telas e o que isso proporcionou em seus futuros, mas levantar questões como preconceito e ascensão social, as relações de solidariedade e, principalmente, o dia a dia nas comunidades periféricas e as dificuldades em viver de cultura no Brasil.

“Cidade de Deus – 10 Anos Depois” participou de 24 festivais de cinema no Brasil e 31, no exterior. O filme foi exibido no Festival do Rio, Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, Panorama Internacional Coisa de Cinema, Mostra de Cinema de Tiradentes, Festival Internacional de Miami, Festival Internacional del Nuevo Cine Latino-americano de Havana, Festival de Cinema Brasileiro de Xangai, Durban International Film Festival, Brazilian Film Festival of London, entre outros.

O filme chega às telas do cinema no Brasil no dia 5 de novembro.

alicenopaisdasmaravilhas2_4-750x380

A Disney liberou recentemente os primeiros teasers de “Alice Através do Espelho” (Alice in Wonderland: Through a Looking Glass), continuação de “Alice no País das Maravilhas“. Assista:

Continuação do longa de Tim Burton (“Sombras da Noite“) lançado em 2010, “Alice Através do Espelho” terá as presenças de Johnny Depp (“Piratas do Caribe“), Mia Wasikowska (“Segredos de Sangue“) e Helena Bonham Carter (“Clube da Luta”) nos papéis que viveram no primeiro filme. Sacha Baron Cohen (“Sweeney Todd: O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet”) deve viver o vilão Time e Rhys Ifans (“O Espetacular Homem-Aranha”) interpretará Zanik Hightopp, o pai do Chapeleiro Louco. No entanto, desta vez a direção não será de Burton, que será substituído por James Bobin (“Os Muppets“). A roteirista Linda Woolverton retorna para escrever o novo filme.

Em 2010, “Alice no País das Maravilhas” faturou cerca de US$ 1 bilhão em todo o mundo. O filme chegará aos cinemas em 27 de maio de 2016.

Saiba mais sobre: ,


Últimas sobre o assunto: