O próximo filme do diretor Noah Baumbach, responsável por dirigir e roteirizar a comédia “Os Meyerowitz: Família Não Se Escolhe”, terá grandes nomes em seu elenco. Segundo a Variety, os atores Adam Driver (“Logan Lucky – Roubo em Família”), Scarlett Johansson (“A Noite é Delas”) e Laura Dern (da série “Big Little Lies”) irão estrelar a produção.

Assim como “Os Meyerowitz”, o filme será financiado e distribuído pela Netflix. Detalhes sobre a trama e os personagens vividos pelos atores ainda não foram revelados. Outros nomes confirmados no elenco foram a atriz Merrit Wever (da série “Nurse Jackie”) e o ator mirim Azhy Robertson.

O projeto, que não tem um título oficial até o momento, ainda não tem uma data de estreia definida.

O apresentador da 75ª edição do Globo de Ouro já foi definido. Segundo a Variety, o apresentador e humorista Seth Meyers (“Late Night With Seth Meyers”) será o responsável pela função.

A organização da premiação já conversava com Meyers há algum tempo, mas somente agora o apresentador aceitou o convite. Os organizadores também tentaram negociar com Ellen DeGeneres (“Ellen: The Ellen DeGeneres Show”) e Tiffany Haddish (da série “The Carmichael Show”). As atrizes Tina Fey (da série “Unbreakable Kimmy Schmidt”) e Amy Poehler (“Irmãs”), que receberam elogios durante suas apresentações entre 2013 e 2015, também não aceitaram retornar à função. A edição deste ano foi apresentada por Jimmy Fallon (“The Tonight Show Starring Jimmy Fallon”).

A premiação do Globo de Ouro de 2018 acontece em 7 de janeiro. A divulgação dos filmes que irão concorrer aos prêmios acontecerá em 11 de dezembro deste ano.

O longa “Trama Fantasma”, que será o último filme da carreira do ator Daniel Day-Lewis (“Lincoln”), ganhou um trailer, informando a estreia antecipada em algumas cidades norte-americanas. Aperte o play:

Ambientado na glamorosa Londres pós-guerra em 1950, o renomado criador de vestidos Reynolds Woodcock (Day-Lewis) e sua irmã Cyril (Lesley Manville, de “Malévola”) são o foco da moda britânica, vestindo a realeza, estrelas do cinema, socialites, debutantes e damas com o distinto estilo da Casa de Woodcock. Mulheres vêm e vão na vida de Woodcock, enchendo o solteiro convicto de inspiração até que ele encontra a jovem e decidida Alma (Vicky Krieps, de “Amor e Revolução”), que rapidamente o encanta e torna-se o amor de sua vida. Uma vez controlado e planejado, ele percebe que sua vida perfeita é interrompida por esse amor.

O longa é escrito e dirigido por Paul Thomas Anderson (“Vício Inerente”), que trabalhou ao lado de Lewis em “Sangue Negro”, de 2007, filme que rendeu um dos três Oscars de atuação de Lewis.

“Trama Fantasma” estreia em 25 de dezembro nos Estados Unidos, enquanto no Brasil ainda não há uma data de estreia confirmada.

Após diversas denúncias de que teria cometido assédio sexual contra mulheres, o ator Jeffrey Tambor (“Arrested Development”) anunciou que está deixando o seriado “Transparent“, produzido pela Amazon Studios. Segundo o The Hollywood Reporter, a notícia da saída de Tambor da série pegou tanto o estúdio quanto o showrunner do seriado, Jill Soloway, de surpresa.

Há duas semanas, Tambor foi acusado de assediar sexualmente sua antiga assistente, Van Barnes. Deste então, ele também foi denunciado pela atriz Trace Lysette, sua colega de “Transparent”, que alega ter sido assediada diversas vezes pelo ator, inclusive no set do seriado. Em comunicado sobre sua saída, Tambor voltou a afirmar que não cometeu os assédios:

“Interpretar Maura Pfefferman em Transparent‘ tem sido um dos maiores privilégios e experiências criativas que tive em minha vida. Entretanto, ficou claro para mim, nas últimas semanas, que este não é mais o trabalho pelo qual eu assinei há quatro anos. Já deixei claro meu profundo arrependimento se qualquer ação minha foi mal interpretada por alguém como agressiva, mas a ideia de que eu assediaria qualquer pessoa, de forma deliberada, é uma simplesmente falsa. Dado a atmosfera politizada que parece ter afetado o nosso set, eu não vejo como posso voltar a Transparent.”

O seriado teve sua quarta temporada lançada pela Amazon em setembro, e uma quinta já estava sendo produzida. Tambor acumulou a conquista de várias premiações como protagonista da série, incluindo um Globo de Ouro e dois Emmys.

John Lasseter, cofundador, chefe de criação e diretor de animações da Pixar (“Toy Story”, “Vida de Inseto”, “Carros”), além de ser o responsável pela grande reviravolta na Walt Disney Animation Studios (“Frozen”, “Detona Ralph”, “Zootopia”, “Moana”), anunciou que está se afastando do estúdio para tirar um “semestre sabático” após admitir que precisa “enfrentar seus erros“.

De acordo com o The Hollywood Reporter, a atriz Rashida Jones (da série “The Office“) deixou a produção de “Toy Story 4“, em que atuava como uma das roteiristas, por conta de um avanço não consensual de Lasseter. Will McCormack, seu parceiro criativo no filme que tem previsão de estreia para junho de 2019, também pediu demissão em apoio à colega. Eles seguem creditados como roteiristas do filme, e não quiseram comentar o suposto assédio de Lasseter. A princípio, o afastamento deles teve como justificativa um chavão de Hollywood: “diferenças criativas“.

Em texto enviado aos funcionários da Pixar, ele disse:

“Recentemente, eu tive algumas conversas difíceis que foram bem dolorosas para mim. Nunca é fácil encarar seus erros, mas é a única forma de aprender com eles. Como resultado isso, tenho pensado muito no líder que sou hoje e me comparando com o mentor e defensor que quero ser. Me chamaram a atenção dizendo que eu fiz com que alguns de vocês se sentissem desrespeitados e desconfortáveis. Nunca foi minha intenção. Coletivamente, vocês são o meu mundo e eu peço desculpas se os decepcionei. Eu quero me desculpar especialmente com qualquer pessoa que recebeu um abraço indesejado de mim ou qualquer outro gesto que possa ter cruzado alguma linha. Independente das minhas boas intenções, todos tem o direito de terem seus próprios limites respeitados.

Nas minhas conversas com a Disney, concluímos que estamos unidos no nosso compromisso de tratar suas preocupações com a seriedade necessária e lidar com elas da maneira apropriada. Também desejamos reforçar a cultura vibrante e respeitosa que tem sido a fundação de nosso estúdio de sucesso desde o começo. Nós concordamos que o primeiro passo nessa direção será o meu afastamento para refletir e descobrir como seguir em frente. Apesar de ser difícil ficar longe de um trabalho que eu amo e de um time que considero muito enquanto pessoas e artistas, sei que essa é a melhor decisão para nós no momento. Minha esperança é que esses seis meses me darão a oportunidade de cuidar melhor de mim, de recarregar as baterias e me inspirar e de no fim das contas voltar para cá com a perspectiva que preciso para ser o líder que vocês merecem.

Tenho muito orgulho desse time e sei que vocês continuarão surpreendendo o mundo na minha ausência. Eu desejo a todos um excelente final de ano e estou ansioso para trabalhar com vocês novamente no próximo ano.

John”.

Muitos funcionários falaram com o site, mas pediram para se manter no anonimato por temer que suas carreiras na indústria da animação fossem prejudicadas.

De acordo com relatos tanto de funcionários quanto de fontes da indústria, o incidente com Rashida Jones não teria sido isolado. Lasseter é muito conhecido por abraçar seus funcionários e demais profissionais da área, além de gostar de “agarrar, beijar e fazer comentários sobre atributos físicos“. O executivo também costuma ingerir doses altas de bebidas alcoólicas em eventos sociais da empresa, como festas de lançamentos, mas seu comportamento não estaria exclusivamente atrelado ao fato.

Ainda segundo o site The Hollywood Reporter, funcionárias mulheres da Pixar já sabiam “virar a cabeça rapidamente para evitar seus beijos“. Algumas usavam um movimento que batizaram de “o Lasseter” para evitar que seu chefe passasse a mão em suas pernas.

Uma das fontes que falou de forma anônima lembrou de uma reunião, realizada há 15 anos, em que Lasseter sentou ao lado de uma mulher.

Ela estava curvada e posicionou o braço na coxa. A melhor maneira de descrever é que era uma postura defensiva… John estava com a mão no joelho dela e movendo-a“, contou.

Após a reunião, a fonte conversou com a vítima sobre o ocorrido:

“Ela disse que deu azar por usar uma saia naquele dia e que se não estivesse se protegendo com o braço, a mão de John teria viajado…”.

A mesma fonte lembrou um caso em que uma foto corporativa precisou sofrer um corte bizarro porque Lasseter, que estava posicionado entre duas funcionárias, repousou suas mãos no corpo delas.

Em outro relato, uma ex-funcionária lembrou encontros estranhos com Lasseter, que gostava — “como muitos na indústria” — de distribuir abraços em reuniões.

Você o abraçava e ele sussurrava em sua orelha por um longo tempo. Ele abraçava diversas vezes e todos te olhavam. Era uma invasão de espaço“, relatou.

Os filmes da Disney e Pixar continuam, mesmo sem a supervisão de Lasseter.