Verdadeiro marco na história da ficção científica, Eu, Robô reúne os primeiros textos de Isaac Asimov sobre robôs, publicados entre 1940 e 1950. Compõem a obra nove contos que relatam a evolução dos autômatos através do tempo, e que contêm em suas páginas, pela primeira vez, as célebres Três Leis da Robótica: os princípios que regem o comportamento dos robôs e que mudaram definitivamente a percepção que se tem sobre eles na literatura e na própria ciência.

Sensíveis, divertidos e instigantes, os contos se interligam por meio de uma entrevista concedida pela dra. Susan Calvin – psicóloga roboticista, especialista-chefe da poderosa U.S. Robots and Mechanical Men Inc., que está em vias de se aposentar – a um jornalista no ano de 2057. Em seu depoimento, dra. Susan relembra a trajetória da robótica desde as primeiras máquinas colocadas à disposição do homem, nos anos 1990, até os sofisticados modelos dos tempos atuais, capazes de tomar decisões estratégicas para a humanidade.

Eu, Robô foi adaptado para o cinema em 2004. Estrelado por Will Smith, o filme foi um sucesso de bilheteria e recebeu uma indicação ao Oscar de efeitos visuais. O filme O Homem Bicentenário, lançado em 1999, também foi inspirado em texto homônimo de Isaac Asimov, presente nessa edição.

Sobre o autor: Isaac Asimov, mestre da ficção científica, foi um dos escritores mais prolíficos do século 20. O Bom Doutor, como era carinhosamente chamado pelos fãs, escreveu e editou mais de 500 livros, entre os quais O Fim da Eternidade e Os Próprios Deuses, além dos premiados romances da Fundação e de suas memoráveis histórias de robôs. Além de suas mundialmente famosas obras de ficção científica, Asimov alcançou sucesso também com tramas de detetives e mistério, enciclopédias, livros didáticos, textos autobiográficos e uma impressionante lista de trabalhos sobre aspectos variados da ciência. Nascido em 1920, na Rússia, emigrou com a família para os Estados Unidos e naturalizou-se norte-americano em 1928. Morreu na cidade de Nova York, em 1992.

Eu, Robô
Autor: Isaac Asimov
Tradução: Aline Storto Pereira
Editora: Aleph
Páginas: 320
Preço: R$ 39,90

“Esse Viver Ninguém me Tira”, filme que marca a estreia de Caco Ciocler como diretor de um longa-metragem, entra em cartaz em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília no dia 11 de dezembro. A produção da Cine Group reconstrói a trajetória de Aracy Guimarães Rosa, mulher do escritor João Guimarães Rosa, mostrando as ações e a coragem dessa heroína anônima.

Caco Ciocler e a equipe da Cine Group passaram mais de dois anos envolvidos com o projeto, que traz o período vivido por Aracy em Hamburgo (Alemanha), em que trabalhava como chefe do setor de passaportes do consulado brasileiro e decidiu ajudar judeus a emigrarem para o Brasil, contrariando o regime nazista e as circulares secretas emitidas pelo governo de Getúlio Vargas.

O filme foi exibido nos festivais de cinema de Gramado e do Rio de Janeiro e em São Paulo teve uma sessão especial para convidados sediada no MIS (Museu da Imagem e do Som), destinada à comunidade judaica e contou com a participação dos herdeiros de dona Aracy, filho, netos e bisnetos. O canal pago Arte 1, do Grupo Bandeirantes, adquiriu os direitos de exibição no Brasil.

Baseada no livro homônimo de Francesc Escribano, “Descalço sobre a Terra Vermelha” é um relato sobre a vida do bispo catalão Pedro Casaldàliga e sua incansável luta pelos índios e camponeses da região do Mato Grosso. A obra reconstrói um passado de lutas pela terra, inclusive durante o regime militar e de violência no centro-oeste brasileiro.

Pedro Casaldàliga i Pla nasceu na província de Barcelona, em 16 de fevereiro de 1928, e mora no Brasil desde 1968. Ingressou na Congregação Claretiana em 1943, sendo ordenado sacerdote em Montjuïc, Barcelona, no dia 31 de maio de 1952.

Casaldàliga chegou ao Brasil como missionário na época da ditadura militar e, ao se deparar com a miséria, as doenças e o analfabetismo de um lugar onde a violência e a corrupção são dominantes, decide lutas pelos direitos dos desfavorecidos.

Foi nomeado administrador apostólico da Prelazia de São Félix do Araguaia (MT) no dia 27 de abril de 1970. O Papa Paulo VI o nomeou bispo prelado de São Félix do Araguaia em agosto de 1971.

Dom Pedro já sofreu inúmeras ameaças de morte, e por cinco vezes, durante a ditadura militar, foi alvo de processos de expulsão do Brasil, por seu engajamento nas lutas camponesas.

Ao completar 75 anos, Dom Pedro Casaldáliga foi sucedido em São Félix por Dom Frei Leonardo Ulrich Steiner, sucessivamente transferido para a Arquidiocese de Brasília como bispo auxiliar. Para a Prelazia foi nomeado Dom Adriano Ciocca Vasino.

No filme, o papel do missionário catalão foi interpretado por Eduard Fernández. A direção é do cineasta catalão Oriol Ferrer e o roteiro, de Marcos Bernstein e Maria Jaén. A série foi coproduzida pela Raiz Produções Cinematográficas, Minoria Absoluta, TVC catalã, TVE espanhola e TV Brasil, que exibe a minissérie nos dias 13, 20 e 27 de dezembro, às 21h30.

Uma historiografia do cinema latino-americano, sob a ótica do volume, contrastes e semelhanças históricas e culturais entre Brasil e Argentina é o fio condutor dos artigos reunidos em “Argentina-Brasil no Cinema: diálogos”. A observação é de que a consolidação do Mercosul, ainda, não contribuiu para romper barreiras econômicas e a insuficiência de políticas públicas com o foco na exibição – controlada por multinacionais.

No elenco das singularidades e diferenças, enquanto a Argentina é o quarto país produtor mundial de conteúdos audiovisuais, o Brasil atravessou processos de estagnação e reformulações, ressurgindo e construindo novas formas de identidade e coexistência a partir dos anos 1990. O conteúdo é investigativo, resulta e compõe estudos acadêmicos, desenvolvidos pela Plataforma de reflexão sobre o audiovisual latino-americano (PRALA), integrado por pesquisadores da Universidade Federal Fluminense (UFF) e outras, em conferências, cursos regulares e orientações.

Os 16 capítulos assinados por diferentes autores possibilitam ao leitor perceber as similaridades nas cinematografias brasileira e argentina, em função de seus processos históricos, marcados pela política e utopia.

Argentina-Brasil no cinema: diálogos contempla um leque amplo de abordagens com leituras diversificadas de momentos de contato, das conversas entre filmes das duas cinematografias, de suas técnicas, música e escolhas narrativas. O livro traz preciosas reflexões sobre filmes contemporâneos ou do início do cinema, ainda mudo: do Nuevo Cine argentino para o Cinema Novo brasileiro; do Cinema Marginal ao Grupo dos Cinco; dos filmes que têm como tema as ditaduras e apresentam contradições às versões oficiais, até as políticas públicas de fomento ao cinema nos dois países, que viabilizam as atuais coproduções.

Argentina-Brasil no Cinema: diálogos
Organização: Tunico Amancio
Editora: Editora da UFF
Páginas: 256
Preço: R$ 35,00

A Warner Bros. divulgou o primeiro trailer oficial de “San Andreas”, estrelado por Dwayne Johnson (“Velozes Furiosos 6″). Foram liberadas também duas novas imagens oficiais do filme e duas fotos dos bastidores. Veja abaixo:

san-andreas-1

san-andreas-2

san-andreas-bts-1

san-andreas-bts-2

Depois de o estado da Califórnia ser devastado por um terrível terremoto, o piloto de helicóptero Ray (Johnson) e sua ex-esposa, Emma (Carla Gugino “Sucker Punch”), partem de Los Angeles rumo a São Francisco com o objetivo de salvar sua única filha, Blake (Alexandra Daddario, de “Percy Jackson e o Mar de Monstros”).

Em uma recente entrevista ao USA Today, que divulgou as imagens acima, o protagonista declarou que a produção “é entretenimento, mas também tem coração”. O ator destaca que o filme mostrará “o desastre, a destruição, a perda de vidas” em grande escala. Johnson disse também que, trabalhando no filme, percebeu o estrago que a natureza pode causar, e que essa bulk fez com que ele “fosse para casa agradecido pelos dias que tenho”, percebendo que “não há como derrotar a Mãe Natureza”.

Dirigido por Brad Peyton (“Viagem 2: A Ilha Misteriosa”) a partir do roteiro assinado por Allan Loeb (“A Super Agente”), Carlton Cuse (da série “Bates Motel”) e pela dupla Carey Hayes e Chad Hayes (“Invocação do Mal”). Completam o elenco Ioan Gruffud (“Santuário”), Colton Haynes (da série “Arrow”), Archie Panjabi (da série “The Good Wife”), Will Yun Lee (“Wolverine: Imortal”), Kylie Minogue (“Holy Motors”), Morgan Griffin (“Invencível”) e Art Parkinson (“Drácula: A História Nunca Contada”).

“San Andreas” será lançado nos Estados Unidos no dia 29 de maio de 2015. Ainda não há previsão de estreia nos cinemas brasileiros.