As empresas exibidoras e distribuidoras de cinema assinaram um termo de compromisso que define limites para a exibição de um mesmo filme em múltiplas salas dos complexos de exibição do país, já a partir de 1º janeiro de 2015. O acordo é resultado de discussões amadurecidas durante a câmara técnica instalada pela ANCINE para avaliar o processo de digitalização e seu impacto na distribuição de longas-metragens no mercado brasileiro. O maior favorecido pela medida é o espectador brasileiro, pois a medida garante diversidade de títulos e preserva a liberdade de escolha do público.

O acordo estabelece limites a serem observados para a exibição de um mesmo título em complexos com mais de três salas. Nos complexos com 3 a 6 salas, um mesmo filme poderá ser exibido em até duas salas; nos complexos de 7 e 8 salas, o limite é de 2,5 salas; para os complexos que possuam entre 9 e 11 salas, um mesmo filme pode ocupar até 3 delas; em complexos de 12 a 14 salas, até 4 poderão ser ocupadas por um mesmo título; e os complexos entre 15 e 18 salas podem exibir um mesmo longa-metragem em até 5 de suas salas.

O documento traz ainda outro compromisso assumido por parte das empresas distribuidoras. Elas asseguram que irão disponibilizar cópias digitais de seus filmes para os complexos que as demandarem, o que deve garantir que os grandes lançamentos cheguem a mais pontos de exibição.

O termo de compromisso já foi assinado por 23 empresas exibidoras e 6 distribuidoras brasileiras. As empresas exibidoras signatárias respondem por mais de 2.100 salas de cinema do país, número que representa 82% das salas dos grupos que administram cinemas com mais de duas salas. Em relação aos cinemas dos grupos exibidores com mais de 20 salas, 90% já aderiram ao compromisso. Esta representatividade foi alcançada em apenas dois dias de coleta de assinaturas. A ANCINE espera conseguir mais adesões nos próximos dias.

Para garantir a efetividade da medida e evitar desequilíbrios entre exibidores concorrentes, a ANCINE deve adotar alguma forma de salvaguarda regulatória, como a previsão de uma cota de tela adicional para filmes brasileiros a ser observada pelos exibidores que não aderirem ou descumprirem o pacto.

O compromisso é válido de 1º de janeiro a dia 31 de dezembro de 2015. O documento indica que a adequação, os efeitos e o cumprimento dos compromissos e limites estabelecidos devem ser avaliados por uma comissão de acompanhamento formada por representantes das empresas signatárias e serem revisados ao final do ano que vem para vigência no ano seguinte.

Na programação de seus complexos cinematográficos, as empresas exibidoras comprometem-se a observar os seguintes limites para a exibição concomitante de um mesmo título, durante o ano de 2015:

Até o momento, assinaram o termo de compromisso as seguintes empresas: Grupo Kinoplex Severiano Ribeiro, Cinépolis Operadora de Cinemas do Brasil, Cinemark Brasil, Grupo Espaço de Cinema, Cineflix Cinemas, United Cinemas Internacional Brasil (UCI), Rede Cinesystem, Arcoplex Cinemas, Lui Cinematográfica, Centerplex Cinemas, Moviecom Cinemas, Rede Cine Show, Rede Cineart Multiplex, Rede Cinemaxx, Sindicato das Empresas Exibidoras do Rio de Janeiro, Rede Moviemax, GNC Cinemas, Grupo Estação, Lumière Cinema, Cineart Café, CineSercla, Grupo Cine Cinemas, Playarte Cinemas, Cine Caixa Belas Artes, Pandora Filmes, Paris Filmes, H20 Films, Downtown Filmes e Imagem Filmes.

A 18ª edição da Mostra de Cinema de Tiradentes anunciou sua programação de longas e curtas, que acontecerá de 23 a 31 de janeiro, na cidade histórica de Minas Gerais. A Mostra Aurora, uma das seleções mais aguardadas e prestigiadas da mostra, e a única de caráter competitivo entre os longas-metragens, chega em 2015 a seu oitavo ano, mantendo e reforçando o perfil de descoberta e experimentação da produção contemporânea brasileira. A Aurora contará com sete filmes inéditos no país: “A Casa de Cecília” (RJ), de Clarissa Appelt; “Mais do que Eu Possa me Reconhecer” (RJ), de Allan Ribeiro; “Medo do Escuro” (CE), de Ivo Lopes Araújo; “O Signo das Tetas” (MA), de Frederico Machado; “Ressurgentes: Um Filme de Ação Direta” (DF), de Dácia Ibiapina; “Teobaldo Morto, Romeu Exilado” (ES), de Rodrigo de Oliveira; e “O Animal Sonhado” (CE), do coletivo formado por Breno Baptista, Luciana Vieira, Rodrigo Fernandes, Samuel Brasileiro, Ticiana Augusto Lima e Victor Costa Lopes.

A seleção, a cargo do curador Cléber Eduardo e do curador assistente Francis Vogner dos Reis, busca sempre maneiras de compreender e propor estilos e formas mais arriscadas no cinema brasileiro atual. Cinco Estados aparecem representados na mostra deste ano (Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Distrito Federal e Rio de Janeiro), com títulos assinados por realizadores de até três longas-metragens no currículo.

Uma das características da Mostra Aurora 2015 é a presença de cineastas que concorreram na mesma mostra com seus longas de estreia em anos anteriores – casos de Ivo Lopes Araújo, Dácia Ibiapina e Rodrigo de Oliveira. Os demais são todos estreantes na seção, representando também grande diversidade de geografias de produção e de formas de realização, com filmes tendo sido feitos a partir de apoio de editais públicos e outros por financiamento coletivo ou produção totalmente independente.

Como em todos os anos, os filmes da Mostra Aurora são avaliados pelo Júri da Crítica, composto de cinco profissionais do pensamento acadêmico e crítico cinematográfico. Pelo terceiro ano consecutivo, o escolhido como melhor filme da Mostra Aurora segundo o Júri da Crítica vai ganhar o Prêmio Itamaraty, no valor de R$ 50 mil, além do Troféu Barroco e serviços e materiais cinematográficos de parceiros da mostra.

Já a programação de curtas-metragens da Mostra Tiradentes, exibirá 90 filmes oriundos de 16 Estados brasileiros, divididos em nove seções temáticas. Dos 90 selecionados, oito são animações, 19 documentários, 54 ficções e nove filmes experimentais dos seguintes Estados brasileiros: Amazonas (1), Bahia (5), Ceará, (5), Distrito Federal (2), Mato Grosso do Sul (1), Minas Gerais (18), Paraíba (2), Paraná (4), Pernambuco (6), Rio de Janeiro (11), Rio Grande do Sul (6), Santa Catarina (1) e São Paulo (28).

Os curtas serão exibidos em nove de nove mostras temáticas, sendo que uma delas, a Mostra Foco (12 curtas), será avaliada pelo júri da crítica. As demais seções se denominam Panorama (22 curtas), Dissonâncias (9), Praça (14), Cena Mineira (7), Cena Regional (4), Formação (8), Jovem (4) e Mostrinha (10).

Uma das novidades deste ano é a Mostra Dissonâncias, que apresentará curtas defendidos por apenas um ou dois curadores, mas com direta reprovação de pelo menos um dos três. O objetivo é transformar as divergências em novas formas de proposições a partir de caminhos e pensamentos controversos e questionadores. Filmes como “A Máquina do Tempo” (SC), de Gustavo Jahn e Melissa Dullius, “Filme Situacionista ou Todas as Circunstâncias São Agravantes” (SP), de Arthur Freitas, “Ossos” (SP), de Helena Ignez, e “Sem Título # 1: Dance of Leitfossil” (SP), de Carlos Adriano, compõem a grade e polarizaram o processo de curadoria, permitindo-lhe olhares discrepantes e instigantes.

Na Mostra Foco, a ser avaliado pelo júri da crítica e cujo ganhador leva o Troféu Barroco e prêmios de parceiros do festival para o incentivo a novas produções, há curtas de diferentes propostas. Outro elemento a chamar atenção foi a grande presença de filmes universitários participando das mais variadas seções da mostra de curtas em Tiradentes.

Confira a relação dos curtas que serão exibidos nesta edição da Mostra:

A Boneca e o Silêncio, de Carol Rodrigues – SP (Mostra Panorama)
A Clave dos Pregões, de Pablo Nóbrega – PE (Mostra Panorama)
A Era de Ouro, de Miguel Antunes Ramos e Leonardo Mouramateus – SP (Mostra Foco)
A Fugitiva, de Marina Kosa – SP (Mostra Formação)
A Hora Azul, de Giovani Barros – RJ (Mostra Panorama)
A Máquina do Tempo, de Gustavo Jahn e Melissa Dullius – SC (Mostra Dissonâncias)
A Nau dos Loucos, de Daniela Seabra e Guilherme Savioli – SP (Mostra Formação)
A Outra Margem, de Nathália Tereza – MS (Mostra Foco)
A Pequena Vendedora de Fósforos, de Kyoko Yamashita – RS (Mostra Praça)
A Vida que a Gente Ouve Falar, de Julia Tami Ishikawa – SP (Mostra Praça)
A+B=C, de Steffi Braucks – SP (Mostra Foco)
Action Painting No. 1 / No. 2, de Krefer e Turca – PR (Mostra Panorama)
Agreste, de Dellani Lima – MG (Mostra Panorama)
Algum Lugar no Recreio, de Caroline Fioratti – SP (Mostra Jovem)
Amor pelo seu Trabalho, de Pedro Elias – MG (Mostra Panorama)
Apite, de Matheus Engenheiro e Miriam Azevedo – MG (Mostra Cena Regional)
Arianas, de Hylnara Anny Vidal – CE (Mostra Panorama)
Armat Jakawinaka – Vidas Ausentes, de Ronaldo Dimer – SP (Mostra Foco)
As Aventuras de Minuano Kid, de Edison Rodrigues e Pedro Antoniutti – RS (Mostrinha)
Boa Morte, de Débora de Oliveira – MG (Mostra Panorama)
Canto de Outono, de André Antônio – PE (Mostra Panorama)
Cantos da Terra Verde, de Gabriel Bilig – MG (Mostra Cena Mineira)
Castillo y el Armado, de Pedro Harres – RS (Mostra Praça)
Charles Dimileto, de Henrique Vale – MG (Mostra Cena Regional)
Corações Sangrantes, de Jorge Polo – RJ (Mostra Panorama)
Curitiba: a Maior e Melhor Cidade do Mundo, de William Biagioli – PR (Mostra Praça)
De Castigo, de Helena Ungaretti – SP (Mostra Praça)
Dia da Mentira, de Thiago B. Mendonça e Marco Escrivão – SP (Mostra Praça)
Doce de Goiabada, de Fernanda Rocha – DF (Mostrinha)
Doutor Magarinos, Advogado do Morro, de Ludmila Curi – RJ (Mostra Praça)
Ensaio sobre Minha Mãe, de Jocimar Dias Jr. – RJ (Mostra Panorama)
Esperando Gordão, de Thiago B. Mendonça – SP (Mostra Praça)
Estátua!, de Gabriela Amaral Almeida – SP (Mostra Foco)
Este Ambiente Está Sendo Filmado?, de Vinícius Lima Costa – SP (Mostra Formação)
Estudo de Persistência, de Krefer – PR (Mostra Panorama)
Eu, de Lucas Ferraço Nassif – RJ (Mostra Dissonâncias)
Filme Selvagem, de Pedro Diógenes – CE (Mostra Foco)
Filme Situacionista ou Todas as Circunstâncias São Agravantes, de Arthur Freitas – SP (Mostra Dissonâncias)
Fluxos, de Diego Akel – CE (Mostrinha)
Gadanthara – Um Fragmento da Biblioteca de por Menores, de Filipe Dilly – MG (Mostra Praça)
História de Abraim, de Otavio Cury – SP (Mostra Dissonâncias)
História Natural, de Júlio Cavani – PE (Mostra Praça)
Homem na Estrada, de Felipe Terra – SP (Mostra Foco)
Ilha, de Ismael Moura – PB (Mostra Foco)
Inferno, de João Marciano Neto – BA (Mostra Formação)
Javaporco, de Leandro das Neves e Will Domingos – RJ (Mostra Panorama)
John Feldman e a Moto, de Rodrigo Gasparini – SP (Mostra Jovem)
José Baleia, de Julio Cruz – MG (Mostra Panorama)
Korea, de Thiago Taves Sobreiro – MG (Mostra Jovem)
Kyoto, de Deborah Viegas – SP (Mostra Praça)
Loja de Répteis, de Pedro Severien – PE (Mostra Panorama)
Marx Pode Sair, de Carol Caniato, Eduardo Malvacini, Otávio Campos, Rafaella Pereira, Stephanie Costa – MG (Mostra Cena Mineira)
Materno, de Alequine Sampaio e Ruy Dutra – BA (Mostra Panorama)
Max Uber, de Andre Amparo – MG (Mostra Cena Mineira)
Menina Bonita do Laço de Fita, de Diego Lopes e Claudio Bitencourt – PR (Mostrinha)
Menino da Gamboa, de Pedro Perazzo e Rodrigo Luna – BA (Mostra Praça)
Miragem, de Virgínia Pinho – CE (Mostra Formação)
Na Realidade, de Rodrigo Bitti – RJ (Mostra Formação)
Ninja, de Marcelo Marão – SP (Mostrinha)
No Dia em que Lembrei da Viagem a Bicuda, de Vitor Medeiros – RJ (Mostra Foco)
Nossas Desculpas, de Raul Parreira Maciel – MG (Mostra Cena Mineira)
O Corpo, de Lucas Cassales – RS (Mostra Foco)
O Extraordinário Caso do Sr. A, de Jackson Abacatu – MG (Mostra Cena Mineira)
O Filme de Carlinhos, de Henrique Filho – BA (Mostrinha)
O Grande Vencedor, de Thiago Taves Sobreiro – MG (Mostra Cena Mineira)
O Monstro e a Floresta, dos alunos do ensino fundamental da Escola Municipal Raimundo Medrado – BA (Mostrinha)
O Real, de Bruno Marra – SP (Mostra Dissonâncias)
Onde Deus é uma Nota de $100, de Alice Riff e Luciano Onça – SP (Mostra Praça)
Ossos, de Helena Ignez – CE (Mostra Dissonâncias)
Outubro Acabou, de Karen Akerman e Miguel Seabra Lopes – RJ (Mostra Foco)
Oxalá e a Criação do Mundo, de Denis Leroy – MG (Mostrinha)
Pele de Concreto, de Daniel de Bem – RS (Mostra Panorama)
Pesadelo de Classe, de Luiz Cruz – SP (Mostra Dissonâncias)
Pontos de Vista, de Fábio Yamaji – SP (Mostra Dissonâncias)
Quito, de Rui Calvo – SP (Mostra Jovem)
Rua da Solidariedade, de Jader Chahine e João Paulo Bocchi – SP (Mostra Praça)
Ruim é Ter que Trabalhar, de Lincoln Péricles – SP (Mostra Panorama)
Sandrine, de Elen Linth e Leandro Rodrigues – AM (Mostra Panorama)
Sansão, de David Azevedo – MG (Mostrinha)
Santa Rosa, de João Paulo Palitot – PB (Mostra Panorama)
Se Essa Lua Fosse Minha, de Larissa Lewandoski – RS (Mostra Formação)
Sem Coração, de Nara Normande e Tião – PE (Mostra Panorama)
Sem Título # 1: Dance of Leitfossil, de Carlos Adriano – SP (Mostra Dissonâncias)
Sem Você a Vida é Uma Aventura, de Alice Andrade Drummond – SP (Mostra Panorama)
Sonho de Sara, de Sara não tem Nome e Gabraz – MG (Mostra Cena Mineira)
Terra do Desejo, de Marlon de Paula, Gustavo Pavan e Endiara Cruz – MG (Mostra Cena Regional)
Tudo o que Eu Tenho Vem Daqui, de André N. P. Azevedo e Ruzza Lage – MG (Mostra Cena Regional)
Um Ano Novo Danado de Bom, de João Batista Melo – DF (Mostrinha)
Ventania, de Matheus Peçanha, Renata Spitz e Thiago Yamachita – RJ (Mostra Formação)
Virgindade, de Chico Lacerda – PE (Mostra Foco)

O Programa Cinema do Brasil – que se dedica, junto com a Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos), a promover filmes brasileiros em outros países – divulgou os vencedores da sexta edição do Prêmio de Apoio à Distribuição. Neste ano, 27 lançamentos, de 22 distribuidoras diferentes, foram selecionados e receberão prêmios de até US$ 25 mil, em um total de USD 280 mil. Os filmes brasileiros que serão beneficiados são “A Busca”, “Era uma Vez Eu, Verônica”, “Faroeste Caboclo”, “Meu Pé de Laranja Lima”, “O Lobo Atrás da Porta”, “O Menino e o Mundo”, “Rio, Eu te Amo”, “Tropicália”, “Avanti Popolo”, “Ventos de Agosto”, “Castanha”, “Obra”, “O Homem das Multidões”, “Prometo um Dia Deixar a Cidade”, além dos premiados “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho” e “Praia do Futuro”, que serão comercializados em cinco territórios diferentes.

Outro fato notável na edição de 2014 é o aumento da procura por produções brasileiras por parte empresas de países como Estados Unidos, Suécia e Coréia do Sul e os latinos Argentina, Chile e Uruguai. A distribuidora norte-americana Big World Pictures, por exemplo, foi premiada pelo projeto de distribuição de “Era Uma Vez Eu Verônica”, enquanto a Cinevox, também dos EUA, ganhou o prêmio para distribuir “Faroeste Caboclo”. Entre os premiados, há ainda projetos para lançar “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho” e “O Lobo Atrás da Porta” nos Estados Unidos, enquanto “Tropicália” e “Ventos de Agosto” devem chegar à Argentina com apoio do prêmio.

O país mais representado entre os vencedores, no entanto, é Portugal, um já tradicional apreciador do cinema brasileiro. Projetos para distribuição de seis longas – “Praia do Futuro”, “Castanha”, “Obra”, “O Homem das Multidões”, “Ventos de Agosto” e “Prometo um Dia Deixar Esta Cidade” – foram contemplados. Ao todo, com o resultado do Prêmio de Apoio à Distribuição, 17 territórios exibirão filmes brasileiros; além dos já citados, estão presentes França, Alemanha, Espanha, Canadá, Irlanda, Hungria, Itália, Reino Unido, Polônia e China.

A edição atual do prêmio foi dividida em duas etapas, a primeira com inscrições abertas durante o Festival de Berlim, em fevereiro, e a segunda, em julho. Para participar, as empresas que já tinham contratos de distribuição assinados com produtoras brasileiras associadas ao Programa Cinema do Brasil enviaram seus planos de distribuição internacional. Em contrapartida, cada empresa contemplada deverá investir no mínimo o mesmo valor da quantia recebida através do Prêmio.

Veja abaixo a lista dos distribuidores apoiados pelo Prêmio de Apoio à Distribuição 2014 – Primeira Fase:

01. Jupiter Communications (França)
02. Big World Pictures (Estados Unidos)
03. Cinevox (Estados Unidos)
04. CineHub (China)
05. Pyramide Distribution (França)
06. Salzberger Co. Medien (Alemanha)
07. Strand Releasing (Estados Unidos)
08. Tongariro Releasing (Polônia)
09. Sookie Pictures (Coréia do Sul)
10. Betta Pictures (Espanha)
11. Outsiders Pictures (Estados Unidos e Canadá)
12. Les Films du Préau (França)
13. Epicentre Films (França)
14. Real Fiction Distribution (Alemanha)
15. Peccadillo Pictures (Reino Unido e Irlanda)

Lista dos vencedores do Prêmio de Apoio à Distribuição 2014 – Segunda Fase:

16. Vertigo Media (Hungria)
17. Lucky Dogs (Suécia)
18. Cineteca di Bologna (Itália)
19. Tren Cine e Cruz Del Sur Cine (Argentina, Uruguai e Chile)
20. Zumzeig Cinema (Espanha)
21. Kommander (Argentina)
22. Nitrato (Portugal)

O XIX Cine PE-Festival do Audiovisual, que será realizado de 2 a 8 de maio, está com as inscrições abertas para as Mostras Competitivas de 2015, até 16 de fevereiro.

A programação das mostras competitivas será formada pelas Mostra de Curtas-Metragens Pernambucanos – Mostra Pernambuco; Mostra Nacional de Curtas-Metragens – Mostra Curta Brasil; Mostra Internacional de Cinema Documentário e Mostra Internacional de Cinema de Ficção, estas duas últimas com a participação de filmes de outros países. Poderão se inscrever à Mostra Pernambuco e à Mostra Curta Brasil produções em ficção, animação e documentário. A última noite do festival é reservada para a solenidade de premiação dos longas-metragens da mostra internacional. O Festival retorna para o palco da sua primeira edição, o Cinema São Luiz. As exibições serão feitas preferencialmente em sistema digital.

As inscrições para as mostras competitivas serão gratuitas e deverão ser feitas pelo site www.cine-pe.com.br. O regulamento está disponível para leitura e download no mesmo endereço.

De acordo com Sandra Bertini, realizadora do festival, serão mantidos os critérios convencionais no processo seletivo da Mostra Pernambuco e Mostra Curta Brasil com uma curadoria específica. Uma outra curadoria especial fará a seleção dos longas-metragens, documentários e ficções. Os resultados do processo seletivo serão divulgados até a primeira quinzena de abril.

Haverá um júri oficial para a Mostra Pernambuco, Mostra Curta Brasil e Mostra Internacional de Documentários, e outro para a Mostra Internacional de Cinema de Ficção, cada um formado por cinco integrantes. As produções selecionadas para a Mostra Pernambuco concorrerão às premiações de Melhor Filme e Melhor Direção.

Para a Mostra Curta Brasil, haverá os prêmios de Melhor Filme; Melhor Direção; Melhor Roteiro; Melhor Fotografia; Melhor Montagem; Melhor Edição de Som; Melhor Direção de Arte; Melhor Trilha Sonora; Melhor Ator; e Melhor Atriz, totalizando dez prêmios.

Os concorrentes da Mostra Internacional de Documentário estarão sujeitos às premiações Melhor Filme e Melhor Direção. Para a Mostra Internacional de Cinema de Ficção, haverá 12 prêmios: Melhor Filme; Melhor Direção; Melhor Roteiro; Melhor Fotografia; Melhor Montagem; Melhor Edição de Som; Melhor Direção de Arte; Melhor Trilha Sonora; Melhor Ator Coadjuvante; Melhor Atriz Coadjuvante; Melhor Ator e Melhor Atriz.

A premiação oficial do Cine PE-Festival do Audiovisual 2015 será, como de praxe, o troféu Calunga, mas o evento poderá contemplar alguns concorrentes com prêmios em dinheiro e/ou serviços oferecidos diretamente por patrocinadores e/ou colaboradores do festival.

A Associação Brasileira de Cinematografia anunciou a abertura das inscrições para o Prêmio ABC 2015, que acontece junto à Semana ABC, de 13 a 15 de maio, na Cinemateca Brasileira, em São Paulo, com painéis, fóruns e discussões a respeito do mercado audiovisual no Brasil, e uma série de convidados brasileiros e internacionais. No último dia, 16 de maio, está programada a cerimônia de premiação.

Os interessados em se inscrever deverão, obrigatoriamente, através do site www.abcine.org.br, preencher o formulário, até 21 de fevereiro, e fazer o upload de seus trabalhos, de 5 de janeiro a 28 de fevereiro, através do link abc.whitegorilla.com.br. Login e senha pedidos deverão ser criados no momento do acesso, acompanhado das seguintes informações: Nome do Trabalho + Categoria + Produtora / Instituição de Ensino + Produtor com contato + Diretor com contato + Diretor de Fotografia com contato. Os formatos aceitos, visando preservar a qualidade dos trabalhos, são: Codec: H.264 ou Resolução: 1280×720 ou Compressão de vídeo: 5000Kbps, ou Compressão de áudio: 44.1 320Kbps – 2.0.

As categorias do Prêmio ABC 2015 são as seguintes:

· Melhor Direção de Fotografia para Longa-Metragem de Ficção
· Melhor Direção de Fotografia para Longa-Metragem Documentário
· Melhor Som para Longa-Metragem
· Melhor Direção de Arte para Longa-Metragem
· Melhor Montagem para Longa-Metragem
· Melhor Direção de Fotografia para Curta-Metragem
· Melhor Direção de Fotografia para Filme Publicitário
· Melhor Direção de Fotografia para Série de TV
· Melhor Direção de Fotografia para Filme Estudantil

Nos filmes de longa-metragem, tanto ficção como documentário, deverá ainda ser enviada uma autorização do produtor para o email secretaria@abcine.org.br.

E, como tem acontecido em anos anteriores, os longas-metragens de ficção inscritos concorrem automaticamente nas categorias de fotografia, arte, montagem e som.

No caso dos filmes estudantis, após a inscrição no site, deverá ser enviada uma carta com a indicação da instituição de ensino para secretaria@abcine.org.br.

O Prêmio ABC, nascido em 2001, tem seus vencedores definidos pelos mais de 300 profissionais do audiovisual associados à ABC.