O diretor-presidente da ANCINE, Manoel Rangel, e o diretor-geral do Instituto Mexicano de Cinematografia – IMCINE, Jorge Geraldo Sánchez Sosa, assinaram, durante o Festival de Berlim, na Alemanha, o Protocolo Interinstitucional de Cooperação Cinematográfica e Audiovisual para o fomento à coprodução e à distribuição de filmes de longa-metragem entre o Instituto Mexicano de Cinematografía dos Estados Unidos Mexicanos e a Agência Nacional do Cinema da República Federativa do Brasil.

O documento prevê a realização anual de editais simultâneos nos dois países, para a seleção de projetos de longa-metragem em coprodução que receberão apoio financeiro, em moldes parecidos com os que a ANCINE realiza regularmente com as instituições audiovisuais de países como Portugal, Uruguai e Argentina.

A assinatura aconteceu durante um evento realizado no Instituto Ibero-americano de Berlim, que debateu o cinema ibero-americano e contou com a participação de diversos realizadores da região, como o cineasta brasileiro Karim Aïnouz e a produtora mexicana Cristina Velasco. O protocolo assinado, que tem vigência inicial de cinco anos, prevê ainda o apoio à distribuição de filmes brasileiros no mercado mexicano e de filmes mexicanos nos cinemas brasileiros.

O festival Filmes da Estação, que acontece entre os dias 12 e 15 de maio, em Juiz de Fora, está com as inscrições abertas da primeira edição da mostra competitiva, até o dia 29 de março. Podem concorrer produtores brasileiros, com filmes com duração igual ou inferior a 29 minutos, com temática livre, produzidos a partir de janeiro de 2012.

Os participantes devem preencher uma ficha de inscrição online, disponível no site www.filmesdaestacao.com.br e disponibilizar os curtas nos formatos MOV ou MP4 Codec H264. Também no site é possível conferir o regulamento completo. Os proponentes também podem inscrever quantas obras desejarem, não há um limite de quantidade de filmes estabelecido. Todos os filmes serão submetidos à avaliação de uma curadoria convidada. O resultado será divulgado também no site, no dia 20 de abril.

Um júri votará a premiação com um troféu em três categorias, sendo elas: melhor filme, melhor direção e prêmio especial. Não haverá, no entanto, premiação com qualquer outro tipo de bem ou dinheiro. Durante os quatro dias de exibições, outros curtas, além dos selecionados para a competitiva também podem integrar a programação.

No ano em que o lançamento de seu primeiro longa-metragem como diretor completa 40 anos, a Cinemateca Brasileira celebra a obra de um dos grandes cineastas brasileiros, Hector Babenco, com uma retrospectiva e uma exposição sobre seus filmes, que acontece de 12 de fevereiro a 15 de março.

Nascido em Mar del Plata, na Argentina, em 1946, Babenco mudou-se para o Brasil aos 19 anos e naturalizou-se brasileiro em 1977. Em 1975, lança seu primeiro longa-metragem, O Rei da Noite, com marcantes interpretações de Paulo José, Marília Pêra e Vic Militello.

Baseado num caso policial, Lúcio Flávio, o Passageiro da Agonia foi um grande sucesso de bilheteria e recebeu diversos prêmios em 1977. Seu filme seguinte é considerado uma de suas obras-primas, Pixote, a Lei do Mais Fraco (1980), presença constante em listas de maiores filmes da década de 1980. Realiza em 1985, O Beijo da Mulher Aranha, produção internacional falada em inglês, que recebeu o Oscar de melhor ator e o prêmio de interpretação masculina em Cannes para William Hurt e pelo qual Babenco foi indicado ao Oscar de melhor diretor.

Em 1987, dirige Jack Nicholson e Meryl Streep em Ironweed, e ambos são indicados ao Oscar pelos papéis. Ambientado na região amazônica e com atores brasileiros e estrangeiros, lança, em 1990, Brincando nos Campos do Senhor, uma coprodução entre Brasil e Estados Unidos. Em 1998, lança Coração Iluminado, drama autobiográfico selecionado para o Festival de Cannes. Em seguida, realizaria seu maior sucesso de bilheteria, Carandiru (2003), também exibido no Festival de Cannes. Em 2007, o diretor retorna a Buenos Aires para as filmagens de O Passado, estrelado por Gael Garcia Bernal, no qual Babenco aparece como um projecionista de cinema. Atualmente, o cineasta dirige Willem Dafoe em seu novo longa-metragem, “Meu Amigo Hindu”, filmado em São Paulo.

Soma-se a retrospectiva dos filmes uma exposição que ilustra os momentos marcantes da carreira do diretor a partir de fotografias de cena e bastidores e de preciosidades pertencentes a várias coleções que compõem o acervo do Centro de Documentação e Pesquisa da Cinemateca Brasileira: materiais de divulgação dos filmes, cartazes, releases, roteiros, além de curiosidades como uma fotonovela de Lúcio Flávio, o Passageiro da Agonia, um compacto com a trilha sonora de Pixote, a Lei do Mais Fraco, o roteiro original de Carandiru com anotações do montador do longa, Mauro Alice, entre outras, além de fotos de cena e dos bastidores dos filmes.

A programação completa está disponível no site www.cinemateca.gov.br.

 

Retrospectiva Hector Babenco
Data: de 12 de fevereiro a 8 de março
Local: Cinemateca Brasileira – Largo Senador Raul Cardoso, 207 – Próximo ao Metrô Vila Mariana – (11) 3512-6111 (ramal 215)

O Projeto Setorial FilmBrazil, realizado pela APRO – Associação Brasileira da Produção de Obras Audiovisuais em parceria com a Apex-Brasil – Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, realizará ação inédita nos Estados Unidos para promover o país como polo de produção audiovisual. Entre os dias 9 e 13 de março, a iniciativa levará dez produtoras para participar de reuniões com importantes agências de Nova York e Chicago, no qual terão a oportunidade de divulgar seus trabalhos para o mercado internacional.

As produtoras Conspiração Filmes, Fulano, Hungry Man, Lobo, Los Bragas, Oca Films, Prodigo Films, Santa Transmedia, Zohar e Zola terão a oportunidade de apresentar seus trabalhos para profissionais de criação/produção das agências e clientes em um espaço totalmente reservado para reuniões, no formato de “screenings”. Ao término, haverá um evento de relacionamento no intuito de estreitar o contato entre os convidados. O processo de seleção das empresas e diretores participantes desta ação contou com o trabalho de “trendsetter” da agência Havas PR, que apontou as principais tendências do mercado local. Em Nova York ,os screenings serão realizados no Soho House e o evento de relacionamento no The Standard Hotel. Já em Chicago, tanto os screenings como o evento de relacionamento serão realizados no Soho House.

Vale ressaltar ainda que essa iniciativa marca o início dos trabalhos da “Incubadora de Projetos Internacionais”. A partir dessa primeira ação, será dado continuidade ao trabalho de representação (ou como é conhecido “Sales Rep”) dessas produtoras, liderado pela executiva do Projeto, Marianna Souza, e pelo executivo recém-transferido para Nova York, Luis Ribeiro.

De 11 a 23 de fevereiro, acontece a mostra O Cinema de Nicolas Philibert, no Centro Cultural Banco do Brasil de São Paulo, em parceria com a Cinemateca da Embaixada de França no Brasil e com o apoio do Institut Français. O evento exibirá 8 longas-metragens, que englobam o início da carreira do cineasta até o seu último filme, rodado em 2012.

A mostra traz a obra de Nicolas Philibert, um dos mais expressivos documentaristas da atualidade, que resgata em seus registros a emoção da descoberta do real como nas origens do cinema. Ainda pouco conhecido no Brasil, o cineasta é um dos grandes nomes do filme documentário francês e mundial.

Nicolas Philibert nasceu em Nancy, em 1951. Após terminar a faculdade de Filosofia, ele decidiu ingressar no meio cinematográfico. Começou sua carreira como assistente de direção, especialmente de René Allio e Alain Tanner. Em 1978, ele correalisa, com Gérard Mordillat, seu primeiro longa-metragem documental, “A Voz de seu Mestre”, no qual um grupo de grandes executivos (L’Oreal, IBM, Thomson, Elf etc) falam sobre o poder, da hierarquia, do lugar dos sindicatos, desenhando aos poucos a imagem de um mundo dominado pela finança.

De 1985 a 1987, ele filmou diversos filmes de montanha e de aventuras esportivas para a televisão. Em seguida, se dedicou a realização de longas-metragens documentais, todos distribuídos comercialmente: “A Cidade Louvre” (1990), “O País dos Surdos” (1992), “Um Animal, os Animais” (1995), “O Mínimo das Coisas” (1996), entre outros.

Como um dos destaques da produção, está o filme “Ser e Ter” (2002), longa que levou o cineasta a alcançar o reconhecimento do público na França e em festivais internacionais. O documentário retrata uma escola rural na França onde os alunos, entre 4 e 11 anos, são todos educados pelo mesmo professor, Sr. Georges Lopez.

Outro destaque é “A Estação de Rádio” (2013), estreado no Festival de Berlim de 2013 e ainda inédito em São Paulo, que mergulha no coração da Radio France, descobrindo o que habitualmente escapa aos olhares: os mistérios e as cenas de um meio cuja própria matéria que utiliza (o som) é invisível.

Em 1975, Nicolas Philibert foi assistente de direção de René Allio em “Eu, Pierre Rivière, que Degolei minha Mãe, minha Irmã e meu Irmão”, baseado num crime local descrito em livro pelo filósofo Michel Foucault. Filmado na Normandia, a alguns quilômetros de onde aconteceu o triplo assassinato, o traço mais especial do trabalho de Allio era o fato de que todos os personagens do filme foram interpretados por camponeses da região. Trinta anos depois, Philibert retorna à Normandia para reencontrar estes atores de ocasião, personagens da vida real. O resultado é o documentário ”De Volta à Normadia” (2007).

Os filmes serão exibidos em 35mm com legendas eletrônicas. A mostra terá ingressos a preços populares e 10% dos ingressos serão disponibilizados gratuitamente ao público de baixa renda.

A programação completa está em www.bb.com.br/cultura.

 

O Cinema de Nicolas Philibert
Data: de 11 a 23 de fevereiro (dia 15 não haverá programação)
Local: Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo – Rua Álvares Penteado, 112 – Centro – Próximo às estações Sé e São Bento do Metrô – (11) 3113-3651 – 70 lugares
Ingresso: R$ 4 e R$ 2 (meia)
Classificação indicativa: livre
Acesso e facilidades para pessoas com deficiência física // Ar-condicionado // Loja // Café Cafezal.