The Book of Henry‘, o mais novo filme de Colin Trevorrow, de ‘Jurassic World‘, ganhou três novos clipes.

A trama da história desenrola-se da seguinte forma: Uma mãe (Naomi Watts) se esforça para sobreviver ao lado de seus dois filhos, sendo que um deles é um verdadeiro gênio.

Fazem parte do elenco principal: Naomi WattsSarah Silverman, Lee Pace, Dean NorrisJacob Tremblay.

A estreia acontece dia 16 de junho de 2017.

Confira, com o emocionante trailer:

the book of henry

 

 

Crítica | A Múmia:

» Siga o CinePOP no Facebook e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema! «

A seguir, você confere mais dois vídeos que trazem detalhes e cenas inéditas da nova série inspirada nos clássico de Stephen King.

Desta vez, O Nevoeiro’.

Assista:

A primeira temporada terá 10 episódios, e estreia dia 22 de junho.

A atração também contará com o envolvimento de Frank Darabont, diretor do longa. Alguns anos depois de dirigir o filme, Darabont se aventurou com o gênero na TV, criando o fenômeno ‘The Walking Dead’.

Segundo o TV Guide, a série terá um final inédito, similar ao criado por Frank Darabont no filme de 2007.

“Eu amo aquele final sombrio do filme dirigido por Frank Darabont. Achei genial. É baseado no livro de Stephen King, mas ele mesmo preferiu o final criado por Darabont. Nós faremos a nossa própria versão de um final bastante original e surpreendente”, revelou.

No livro, o final fica em aberto e os leitores ficaram com esperança em relação ao futuro dos personagens. A versão do filme no entanto, é muito mais escura.

David Boyd, que comandou alguns episódios da segunda e terceira temporada de ‘The Walking Dead‘, funcionará como produtor executivo da série.

Adam Bernstein, vencedor do Emmy Awards por um episódio de ‘30 Rock‘, dirige o piloto. Ele tem no currículo episódios das séries ‘Fargo‘, ‘Better Call Saul‘, ‘Nurse Jackie‘ e ‘Bloodline‘.

O Nevoeiro‘ adapta um conto de Stephen King, presente no livro ‘Tripulação de Esqueletos’. Na trama, um grupo de pessoas fica preso dentro de um supermercado quando a cidade é coberta por um nevoeiro denso, no qual habitam várias criaturas monstruosas.

O filme trouxe em seu elenco: Thomas Jane (‘O Justiceiro’), Laurie Holden (‘Terror em Silent Hill’), Andre Braugher (‘Poseidon’) e Marcia Gay Harden (‘Pollock’).

Elogiado pela crítica por sua trama sombria, o longa faturou apenas US$ 57,2 milhões nas bilheterias mundiais, sendo que seu orçamento foi de US$ 18 milhões.

Christian Torpe (‘Rita’) trabalha no roteiro, com o aval de Stephen King.

As 10 Melhores Adaptações de Stephen King 

 

Crítica | A Múmia:

» Siga o CinePOP no Facebook e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema! «

A pedido da Marvel TV, o fotógrafo Kremer Johnson fez um ensaio bem legal com todo o elenco de Os Defensores e com alguns dos integrantes de ‘Agents of SHIELD’.

A Marvel ainda não revelou a causa do ensaio, principalmente, partindo da ideia que em 2017 não tem alguma grande data comemorativa para a divisão de TV do estúdio, exceto se for pelo lançamento de Os Defensores’.

Confira:








Lembrando que ‘Os Defensores‘ tem estreia marcada na plataforma para 18 de agosto.

‘Os Defensores’: Sigourney Weaver dá algumas pistas sobre sua vilã na série

No elenco de apoio também estão confirmados : Jeri Hogarth (Carrie-Anne Moss) e Malcolm Ducasse (Eka Darville), de ‘Jessica Jones‘, e Foggy Nelson (Elden Henson), de ‘Demolidor‘, Simone Missick (Misty Knight), de ‘Luke Cage‘ e Deborah Ann Woll (Karen Page), de ‘Demolidor‘.

Demolidor e Jessica Jones juntos nas novas fotos dos bastidores de ‘Os Defensores’

Netflix divulga teaser-trailer incrível de ‘Os Defensores’

 





Crítica | A Múmia:

» Siga o CinePOP no Facebook e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema! «

Apesar de ‘Mulher-Maravilha‘ ter roubado a cena nas bilheterias, ‘Piratas do Caribe – A Vingança de Salazar‘ está se mantendo muito bem.

O Capitão Jack Sparrow e companhia chegaram aos US$ 600 milhões em arrecadação global, sendo US$ 135,8 milhões nos EUA e US$ 464,4 milhões nos outros mercados, com US$ 161 milhões somente na China.

Vale lembrar que o segundo e o quarto filme da franquia ultrapassaram a marca do US$ 1 bilhão nas bilheterias.

Assista nossa crítica em vídeo:

Leia a crítica em TEXTO:

Crítica | Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar – Insanidade em Doses Controladas 

Piratas do Caribe – A Vingança de Salazar‘ estreia dia 25 de Maio de 2017.

POLÊMICA! Dublador do Johnny Depp se revolta contra a Disney e não fará ‘Piratas do Caribe 5’ 

‘Piratas do Caribe 5’ deve ser o último filme da franquia 

‘A Vingança de Salazar’: Fãs se revoltam com o título nacional de ‘Piratas do Caribe 5’

“Em nova aventura, o Capitão Jack Sparrow se encontra com os ventos da má sorte soprando com mais força quando um grupo piratas fantasmas são liberados por um velho inimigo: Capitão Salazar (Javier Bardem), que depois de escapar do Triângulo do Diabo está determinado a matar todos os piratas do mar, principalmente Jack Sparrow. Sua única esperança de sobrevivência é a busca pelo lendário Tridente de Poseidon – um artefato poderoso que dá ao seu possuidor o controle dos sete mares.

Para encontrá-lo, ele tem que fazer uma aliança com a brilhante astrônoma Carina Smyth (Kaya Scodelario) e o teimoso marujo Henry (Brenton Thwaites).

 

Crítica | A Múmia:

» Siga o CinePOP no Facebook e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema! «

Os recentes cancelamentos de Sense8 e The Get Down provocaram um debate nas redes sociais sobre os “reais motivos” para a Netflix ter tomado esta decisão. Este burburinho ficou ainda maior com a declaração de Reed Hastings, CEO da empresa: “Estamos com uma taxa altíssima de sucesso. Pensamos então em cancelar algumas séries, assumir alguns riscos, tentar coisas loucas. Sendo assim, nossa taxa de cancelamentos de séries vai subir”.

Não demorou para que as especulações sobre os reais motivos dos cancelamentos – especialmente de Sense8 – tomassem conta. É possível encontrar nas redes, quando o tema é Sense8, quem diga que a Netflix cancelou a série porque diversidade não dá grana e aqueles que já acusam a pobre coitada de homofobia, transfobia e qualquer outro prefixo cabível na palavra fobia. Muitos, sensatamente, levantavam a questão do retorno financeiro.

A Netflix não divulga os dados de audiência. Porém, um caminho para identificar a repercussão das suas séries é verificar a frequência dos termos na internet via Google Trends. Alguns sites fizeram esses levantamentos. O que ficava evidente era que Sense8 tinha pouca repercussão. Embora repercussão e audiência não andem necessariamente de mãos dadas, esses dados do Google Trends são indicadores importantes.

Eis que Ted Sarandos, o chefe de conteúdo da Netflix, em uma conversa com Jerry Seinfeld, declarou o óbvio: “Relativo ao que você gasta, as pessoas estão assistindo? Isso é bastante tradicional. Quando digo isso quero dizer que um programa muito caro para um grande público é ótimo. Um programa grandioso e caro para um público minúsculo é difícil de fazer funcionar por muito tempo, mesmo no nosso modelo de negócio.”

Em resumo: grana! A equação é tão antiga quanto o capitalismo: o retorno tem que ser maior do que o investimento. Se o investimento é maior do que o retorno financeiro, o resultado é série cancelada (sério! Isso é tão antigo quanto os folhetins publicados em jornais no século XIX).

As perguntas que ficam é se a Netflix será mais conservadora em seus projetos e qual a lógica por trás da frase de Reed Hastings e?

Na opinião deste humilde crítico, a Netflix irá continuar a investir em série diferentes, que testem os limites da dramaturgia, afinal, isso é a marca das séries americanas atuais. O que certamente será feito é uma calibragem no orçamento. É pouco provável que uma aventura como Sense8 – série que alcançou apenas um nicho e gastou milhões – volte a acontecer. Séries mais revolucionárias ou que se limitem a um público restrito certamente terão espaço, mas com orçamentos modestos.

Já a frase Reed Hastings… bem, é muito estranho ler as palavras sucesso e cancelamento na mesma frase. Arrisco a dizer que a lógica de cancelar séries, é menos por corte de gastos, e mais por buscar novidades. A Netflix vive de suas assinaturas (ainda não achou uma forma sólida de ganhar com anunciantes). E a maneira para atrair novos assinantes é sempre ter novidades no cardápio. Não acredito que eles venham a cancelar uma House of Cards ou uma Orange Is The New Black sem um desfecho como fizeram com Sense8. Aposto, isso sim, que eles busquem fazer séries com menos temporadas, aumentando a rotatividade para sempre terem novidades. E, certamente, isto passará por arriscar novas fórmulas. De resto, fico ainda me perguntando o porquê da Netflix não decidido pelo planejamento de Sense8 mais cedo, permitindo que as irmãs Wachowski dessem um final para a série.

Crítica | A Múmia:

» Siga o CinePOP no Facebook e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema! «