Mostra Tiradentes anuncia seleção de filmes inéditos

A Mostra Aurora, dedicada à exibição de longas inéditos de realizadores em início de carreira é uma das seleções mais aguardadas da 19ª Mostra de Cinema de Tiradentes, que este ano acontece entre os dias 22 e 30 de janeiro. A Aurora, em sua nona edição, mantém o perfil de apostar em filmes de invenção e experimentação da produção contemporânea brasileira, exibindo títulos de realizadores com no máximo três longas-metragens no currículo. Eles são avaliados pelo Júri da Crítica e concorrem ao Troféu Barroco e a prêmios de parceiros do evento.

Na 19ª edição da mostra, na cidade histórica mineira, a Aurora exibirá sete filmes inéditos de quatro Estados do país: “Animal Político” (PE), de Tião; “Aracati” (RJ), de Aline Portugal e Julia De Simone (RJ); “Banco Imobiliário” (SP), de Miguel Antunes Ramos; “Filme de Aborto” (SP), de Lincoln Péricles; “Índios Zoró – Antes, Agora e Depois?” (PE), de Luiz Paulino dos Santos; “Jovens Infelizes ou um Homem que Grita Não É um Urso que Dança” (SP), de Thiago B. Mendonça; e “TaegoAwa” (GO), de Marcela Borela e Henrique Borela.

A seleção, a cargo do curador Cléber Eduardo e do curador assistente Francis Vogner dos Reis, foi feita a partir de 59 filmes inscritos para seleção com perfil e requisitos para a Aurora.

Uma das presenças aguardadas da Aurora 2016 é a de Luiz Paulino dos Santos, lendário cineasta baiano que, aos 83 anos, exibirá seu terceiro longa-metragem como diretor, “Índios Zoró – Antes, Agora e Depois?”. Paulino foi diretor de primeira hora de “Barravento” (1961), que viria a se tornar o primeiro longa de Glauber Rocha, e esteve presente em diversos projetos ao longo das últimas décadas, como ator, consultor ou mesmo inspiração a várias gerações.

Como em todos os anos, os filmes da Mostra Aurora são avaliados pelo Júri da Crítica, composto de cinco profissionais do pensamento acadêmico e crítico cinematográfico. Na 19ª edição da Mostra de Tiradentes, o Júri da Crítica será formado pela professora e pesquisadora da UFPE Angela Prysthon (PE); pelo professor e pesquisador da Universidade Federal de São Carlos Arthur Autran (SP); pelo crítico e pesquisador Carlos Alberto Mattos (RJ); pelo crítico Marcelo Ikeda (PE); e pelo jornalista Paulo Henrique Silva (MG).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *