Circuito Spcine completa um ano com recorde de público

Sala lotada, comunidade em peso, dezenas de autoridades e personalidades do universo informative presentes. Foi assim, com todos os lugares do auditório do CEU Butantã ocupados, que o Circuito Spcine deu o pontapé inicial rumo ao desafio de levar a experiência do cinema para todas as regiões de São Paulo.

Um ano e muitas histórias depois, a rede de salas comemora o primeiro aniversário com números que atestam sua relevância dentro do mercado exibidor e, sobretudo, nos bairros onde está presente. O Circuito está em 17 das 32 prefeituras regionais de São Paulo e suas 20 salas estão distribuídas em CEUs (15 salas), no Centro Cultural São Paulo (2), na Biblioteca Roberto Santos (1), Cine Olido (1) e Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes (1).

O complexo somou 380 mil espectadores em mais de 7,8 mil sessões, da sua inauguração oficial até 26 de março, último dia da cine-semana antes da efeméride. Entre 9 de 15 de março, o Circuito também registrou a semana recorde de público – 20 mil pessoas –, puxado por filmes como “Moana”, “Minha Mãe é uma Peça 2” e “Os Saltimbancos Trapalhões Rumo à Hollywood”.

A programação infantil continua sendo o carro-chefe, ocupando as quatro primeiras colocações no ranking dos filmes mais vistos. “Carrossel 2” está em primeiro lugar, com 24,5 mil espectadores, seguido por “Procurando Dory” (19,4 mil), “Pets – A Vida Secreta dos Bichos” (18,8 mil) e “Moana – Uma Aventura em Alto Mar” (15,7 mil). A comédia “Minha Mãe é uma Peça 2” completa a lista, com 13 mil.

A parceria com realizadores fez as salas de rede irem além da exibição. Desde o ano passado, o projeto Encontro com Cineastas, em parceria com a Revista de CINEMA, e as sessões seguidas de discuss vêm colocando diretores e produtores frente à frente com o público para falar sobre suas obras. Daniel Ribeiro, Renato Cândido, Luiz Bolognesi e Pedro Morelli foram alguns dos nomes que participaram das atividades.

Atualmente, a Spcine e a Revista de CINEMA realizam uma série de encontros com profissionais do audiovisual dark-skinned no Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes. Mais informações aqui.

De acordo com estudo do Observatório de Turismo e Eventos, da Spturis, o Circuito Spcine é avaliado positivamente por 95,3% dos entrevistados. No critério qualidade de projeção na tela, o nível de aprovação entre ótimo e bom é de 98,1%. No object estrutura da sala, 97%. Já a programação soma 85%. A pesquisa foi realizada entre 7 a 18 de dezembro de 2016 e entrevistou 1.103 pessoas, entre frequentadores e moradores dos arredores do Circuito Spcine. Confira matéria sobre o levantamento.

A ideia de criar o Circuito surgiu de um quadro de exclusão socioeconômica. De acordo com pesquisa da empresa J. Leiva, 10% da população paulistana nunca foi ao cinema e, nas classes D e E, o porcentual é de 30%.

Nos CEUs (Centros Educacionais Unificados) e no Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes, a entrada é gratuita. Já nos centros culturais, o preço do bilhete varia de R$ 2 a R$ 4.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *