Cinema argentino é tema de curso e série de exibições

No período de 5 a 26 de setembro, aos sábados, das 14h às 17h, o Sesc Bom Retiro realizará uma reflexão acerca do cinema argentino. Será ministrado o curso História do Cinema Argentino, além de uma mostra de filmes argentinos, entre os dias 8 e 23 de setembro, terças e quartas, às 19h, com temáticas que variam entre humor, romance, relações familiares e política.

Em quatro encontros, serão discutidos: a adaptação ao processo de cinema sonoro; a inauguração dos primeiros estúdios; a modernização da linguagem; e a influência da repressão política, censura, e redemocratização do país no cinema. Vanderlei Henrique Mastropaulo, pesquisador latino-americano e Mestre em Comunicação e Cultura pela Universidade de São Paulo, ministrará o curso de cinema. Durante as conversas, também serão apresentados trechos de filmes marcantes na história do cinema argentino.

O primeiro filme da mostra será Conversando com Mamãe, dia 8 de setembro, terça, às 19h, de Santiago Carlos Oves, sensível comédia que tem em seu elenco Eduardo Blanco, China Zorilla e Ulises Dumont, três dos mais marcantes atores do país. Os problemas econômicos servem de ponto de partida para que Jaime se reaproxime de sua mãe e, de certa maneira, repense sua própria vida.

Dia 9 de setembro, quarta, às 19h, é a vez do O Crítico, estreia de Hernán Guerschuny, que é ao mesmo tempo sátira e homenagem às comédias românticas, gênero que impregnou o imaginário do público de cinema e é odiado pelo personagem principal do filme, um crítico implacável cujas manias todos somos capazes de reconhecer em alguém próximo a nós.

Na segunda semana, dois filmes recuperam o “road movie”, mas com cores e ares platinos. Las Acacias, dia 15 de setembro, terça, às 19h, estreia de Pablo Giorgelli, chamou atenção mundial ao ganhar a Caméra d’Or, no Festival de Cannes, em 2011, com a singela história de Rubén, caminhoneiro solitário que se vê obrigado a dar carona para uma desconhecida no trajeto entre Assunção, no Paraguai, e Buenos Aires. O outro filme é Filha Distante, mais recente trabalho de Carlos Sorín, mestre das “histórias mínimas”, que além de abordar a reaproximação familiar, registra a viagem de muitos quilômetros feita por um pai para rever a filha. Las Acacias e Filha Distante usam o deslocamento como metáfora de uma jornada de redescoberta. Ambos encantam pelas emoções contidas, pelos silêncios, expectativas e recompensas. São obras discretas, de personagens comuns, mas que guardam grandes pequenas histórias.

A terceira e última semana conta com o humor negro. Dia 22 de setembro, terça, às 19h, o público poderá assistir ao O Homem ao Lado, da dupla Gastón Duprat e Mariano Cohn. Dois vizinhos se obrigam a uma convivência desconfortável, após um deles abrir uma janela para o lado da propriedade do outro sem consentimento. Os desdobramentos deste incidente expõem a falta de vontade ao diálogo e à compreensão, típicas dos tempos atuais.

Fechando a mostra, dia 23 de setembro, quarta, às 19h, será exibido Relatos Selvagens, de Damián Szifrón, composto de seis episódios com suspense e a comédia de humor negro. Seus personagens mergulham em diversas situações limite: uma irracional discussão de trânsito, a via crucis da burocracia institucional, a impunidade e o abuso de poder, uma caótica cerimônia de casamento. O filme levou mais de 2,5 milhões de argentinos aos cinemas, confirmando-se como uma das maiores bilheterias do país.

Todas as apresentações são gratuitas, com retirada de ingressos com uma hora de antecedência e de classificação indicativa livre. O endereço do Sesc Bom Retiro é Al. Nothmann,185. Mais informações pelo telefone 3332-3600 ou pelo portal www.sescsp.org.br/bomretiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *