E se no mundo dos contos de fadas o príncipe encantado fosse uma só pessoa e saísse prometendo “felicidade para sempre” para as diversas princesas ao mesmo tempo? “Encantado” explica essa possibilidade por uma maldição lançada sobre o príncipe Philippe (voz original de Wilmer Walderrama, “Nação Fast Food”, e do dublador Leo Cidade na versão brasileira) que o deixa irresistível para qualquer mulher que troque olhares com ele. Com o charme elevado ao extremo, Philippe só quer que toda garota se sinta como uma princesa, mesmo que isso cause muita confusão e apesar de ainda não saber o que é amor de verdade.

Dentre as vítimas ilustres do encanto de Philippe estão as clássicas princesas Cinderela, Branca de Neve e Bela Adormecida, cujas vozes emprestadas são das cantoras Ashley Tisdale, Avril Lavigne e G.E.M. respectivamente. Elas introduzem as músicas do filme com tempero pop e representam gerações de meninas, mas as competitivas princesas são só coadjuvantes nesta história. Demi Lovato (“Camp Rock”) é quem dá a voz para a protagonista Lenore (Larissa Manoela, de “Fala Sério, Mãe!”, na versão brasileira), uma solitária, habilidosa e ousada ladra de tesouros, que possui o status de “princesa em potencial” por falar com o passarinho vermelho que a acompanha como cúmplice nos roubos.

Por tradição, o príncipe precisa sair numa jornada e vencer três grandes desafios, mas seu problema maior é enfrentar as últimas consequências do feitiço: se ao completar 21 anos ele ainda não tiver dado um beijo verdadeiro, todo o amor desaparecerá do reino. Mesmo com pouco tempo para o aniversário, Philippe é otimista e está certo que encontrará a peça que falta durante o caminho. É claro que o destino colabora e coloca Lenore na cola do príncipe, porém, assim como acontece em “Mulan”, a garota precisa se disfarçar de homem, e pior, seu coração é imune ao charme de Philippe.

Como necessidade da narrativa, é interessante notar os artifícios que o filme oferece aos protagonistas para saber o que passa na cabeça deles sem ter que construir cenas complexas. Enquanto Lenore desabafa seus pensamentos para o passarinho, o tempo da ação desacelera quando o diálogo interno do príncipe precisa ser dito em voz alta. Pausas, “câmera lenta” e volta no tempo são técnicas que buscam afastar a obra da estética clássica do conto de fadas animado assim como o uso das diversas subversões que o longa traz aos papéis femininos e masculinos e das muitas canções de ritmo pop. Esses elementos aproximam “Encantado” à proposta original de “Shrek”, mas estão longe de possuir o espírito da produção da Dreamworks. Além do produtor John H. Williams, a participação de John Cleese como ambos Fada Madrinha e Carrasco é mais um elo com os filmes do ogro verde, já que o comediante também fez a voz do Rei nessa franquia.

A história do príncipe que não é tão prendado quanto a lenda propõe ser pró-feminista ao criticar as fábulas e reavaliar o mito da princesa indefesa pela personagem de Lenora, mas não parece tratar as outras personagens de acordo. “Encantado” faz piada com uma estrábica, retrata as princesas clássicas como garotas problemáticas, justifica a maldade da vilã como recalque, apresenta indígenas como “comedoras de homens” gigantes e caracteriza como obesa a criatura que mais deseja o príncipe para, supostamente, provocar cruéis risadas.

Mesmo sugerindo novas reflexões sobre os papéis de príncipe e princesa, “Encantado” não abandona o valor clássico do casamento como objetivo nem da promessa de felicidade eterna. As canções presentes dão um ar de musical juvenil contemporâneo ao filme e são positivamente distintas as composições da cantora Sia, que também está no elenco como a voz da personagem Meio-Oráculo. Mas todos os ingredientes apresentados não são suficientes para montar uma história coerente com sua moral e deixa para divertir somente os espectadores menos exigentes.

De acordo com o Deadline, a produtora Endeavor Content adquiriu os direitos de “Wolf Country“, roteiro original escrito por Pete Bleger. Diversos estúdios estavam na disputa pelos direitos sobre a obra. O preço exato da compra não foi revelado, mas, segundo o site, foi selado um acordo com um valor de seis dígitos.

A trama acompanha um amado morador do Colorado que, vivendo com sua própria versão da verdade, acaba indo para a prisão. Mas, antes de chegar lá, ele escapa da custódia. Uma jovem xerife que ainda acredita no certo e no errado decide perseguir o foragido sozinha pelo deserto do Colorado. Ao trazê-lo à justiça, ela deve primeiro chegar a um acordo com o homem que lhe ensinou tudo e que também passa a ser seu pai.

Begler já escreveu “Dog” para Sidney Kimmel e foi roteirista do drama “Chance”, da Hulu. Lynette Howell Taylor (“Nasce Uma Estrela”) e Samantha Housman (“Glass Chin”) irão produzir. Não há informação sobre data para as filmagens ou elenco.

“Wolf Country” ainda não tem data de estreia.

Com a expectativa do lançamento de um novo trailer para esta terça-feira (11), foi divulgado o novo pôster de “Godzilla II: Rei dos Monstros”. Além do gigantesco monstro, a atriz Millie Bobby Brown (da série “Stranger Things”) estampa a imagem. Veja abaixo:

A sequência do filme lançado em 2014 acompanha os esforços dos heróis da agência de cripto-zoologia Monarch, enquanto seus membros enfrentam um conjunto de monstros do tamanho de deuses, incluindo o poderoso Godzilla que batalha contra Mothra, Rodan e o monstro de 3 cabeças Rei Ghidorah. Quando essas super espécies antigas – antes consideradas mitos – surgem novamente, todos almejam a supremacia, deixando a existência da humanidade pendurada na balança.

Além de Millie, o elenco é formado por Ken Watanabe (“A Origem”) e Sally Hawkins (“A Forma da Água”), reprisando seus papéis do filme anterior. As novas adições incluem Vera Farmiga (“Invocação do Mal”), Kyle Chandler (“Manchester à Beira-Mar”), Bradley Whitford (“O Segredo da Cabana”), Thomas Middleditch (da série “Silicon Valley”), Charles Dance (“Anjos da Noite”), O’Shea Jackson Jr. (“Straight Outta Compton”), Aisha Hinds (“Se Eu Ficar”) e Zhang Ziyi (“O Tigre e o Dragão”).

“Godzilla II: Rei dos Monstros” chega aos cinemas no dia 31 de maio de 2019.

Com a presença dos atores Caleb McLaughlin, Noah Schnapp e Sadie Sink – que interpretam, respectivamente, Lucas, Will e Max -, o painel de “Stranger Things” foi um dos mais divertidos da #CCXP18. Em meio à euforia dos fãs presentes, o trio se mostrou entrosado e aberto, com McLaughlin chegando até a arriscar alguns passos de dança – que ele estaria ensaiando “para o baile da escola”.

Mas apesar da simpatia do elenco presente, a grande expectativa do público por uma data de estreia definida para a terceira temporada não foi atendida – sabe-se apenas que ela chegará à Netflix em 2019. Foi exibido, no entanto, um vídeo com os nomes dos oito episódios que a irão compor: “Está Me Ouvindo, Susie?“, “O Caso dos Ratos“, “O Salva-Vidas Desaparecido“, “A Prova da Sauna“, “A Fonte“, “O Aniversário“, “A Mordida” e “A Batalha de Starcourt“. Assista acima.

Com base nesta nova lista, os fãs podem esperar duas grandes batalhas, possivelmente no meio e no final da temporada. O título do episódio derradeiro faria referência, inclusive, ao novo shopping center da cidade de Hawkins, o Starcourt Mall, que foi apresentado em teaser lançado em julho protagonizado pelos personagens Steve Harrington (Joe Keery, de “A Grande Jogada“) e Robin (Maya Hawke, da série “Little Women“).

“Stranger Things”, criada pelos showrunners Matt e Ross Duffer, mistura diversos gêneros, indo da comédia ao drama, da ficção científica ao terror. A história se passa nos anos 80, e explora as desventuras de um pequeno grupo de habitantes da pequena cidade de Hawkins, em Indiana, após o local ser palco de misteriosos eventos sobrenaturais.

O novo ano de “Stranger Things” terá oito episódios e se passará cerca de um ano após os acontecimentos da segunda temporada. O foco da série permanecerá no grupo principal de amigos: Eleven (Brown), Mike (Finn Wolfhard), Dustin (Gaten Matarazzo), Lucas (Caleb McLaughlin) e Will (Noah Schnapp), e suas famílias.

As duas primeiras temporadas de “Stranger Things” estão disponíveis no catálogo da Netflix. A quarta temporada foi confirmada pelo produtor Shawn Levy, mas esta ainda não tem previsão de lançamento.

A dublagem é uma profissão subvalorizada no mundo do cinema, a menos que seja feita por um time repleto de estrelas, como é o caso de “Homem-Aranha no Aranhaverso”. Um vídeo liberado pela Sony Pictures mostra trechos do trabalho dos atores no estúdio para dar voz aos personagens da animação. Nele, Nicolas Cage (“Os Jovens Titãs em Ação! Nos Cinemas“), Shameik Moore (“Dope: Um Deslize Perigoso”), Hailee Steinfeld (“A Escolha Perfeita 3“), Jake Johnson (“A Múmia”), Liev Schreiber (“A Quinta Onda“), Brian Tyree Henry (“Tudo por Dinheiro em Paris”), Luna Lauren (“A Primeira Noite de Crime”), o comediante John Mulaney e Kimiko Glenn (da série “Orange Is The New Black”) aparecem bem à vontade durante o processo de dublagem.

Alguns dos atores decidiram gravar maquiados e com roupas que lembram os personagens animados. Cage, por exemplo, interpreta um detetive de outra dimensão, que é caracterizado na tela apenas em preto e branco. O experiente ator levou a sério sua função e apareceu para gravar de camisa branca, terno e calça preta. Assim como ele, o restante do elenco é mostrado em momentos expressivos, de muita concentração e com gestos dramáticos (confira acima).

A narrativa de “Homem-Aranha no Aranhaverso” trabalha com a existência de diferentes dimensões e acompanha a vida de Miles Morales (Moore), versão do Aranha do universo Ultimate dos quadrinhos, e que faz bastante sucesso entre os leitores de HQs. Neste mundo, existe mais de um Homem-Aranha, e Peter Parker (Jake Johnson), que já é mais velho, é uma espécie de mentor para Morales. Anteriormente, foi divulgado que a produção ganhará sequência e spin-off com personagens femininas.

O longa é dirigido por Bob Persichetti (animador de “O Pequeno Príncipe“) e Peter Ramsey (“A Origem dos Guardiões“). A dupla Phil Lord e Chris Miller (ambos de “Uma Aventura LEGO”) assina o roteiro e é responsável pela produção.

“Homem-Aranha no Aranhaverso” estreia nos cinemas nacionais em 10 de janeiro de 2019.