De acordo com o Hollywood Reporter, o diretor Edgar Wright irá comandar a adaptação para os cinemas do livro “Set My Heart To Five”, que será lançado ainda neste ano, do escritor Simon Stephenson. O longa contará a história de um robô que desenvolve sentimentos através do cinema.

A história é ambientada em um mundo de 2054, e segue Jared, um androide que trabalha como dentista, enquanto passa por um despertar emocional que é desencadeado por introduções aos filmes dos anos 80 e 90. Ele então embarca em uma missão para convencer os humanos de que ele e sua espécie devem ter permissão para sentir. Jared parte em uma busca que o leva a uma aventura inesquecível na costa oeste americana, determinado a se encontrar com o programador que o criou e escrever o roteiro de um filme que mudará o mundo.

Edgar Wright é bastante famoso por sua Trilogia do Cornetto, que conta com os filmes “Todo Mundo Quase Morto”, “Chumbo Grosso” “Heróis de Ressaca”, todos protagonizados pela dupla de comediantes Simon Pegg e Nick Frost. Wright também dirigiu a adaptação de quadrinhos “Scott Pilgrim contra o Mundo”, e o recente sucesso de público e crítica “Em Ritmo de Fuga”. O próximo filme de Wright, o terror “Last Night in Soho”, ainda está previsto para estrear nos EUA em 25 de setembro deste ano.

O autor do livro, Simon Stephenson, adaptará a história. Os direitos foram comprados preventivamente pela Working Title Films e a Complete Fiction Pictures, parceiras de Edgar Wright em seus filmes. A Focus Features irá distribuir o longa.

Outras informações sobre o filme, como elenco ou início da produção, não foram divulgadas.

Com a pandemia de coronavírus (COVID-19), diversos filmes de Hollywood tiveram suas estreias adiadas e produções paralisadas. E no momento, “Homem-Aranha 3”, filme do Universo Cinematográfico da Marvel estrelado por Tom Holland, pode ter suas gravações, inicialmente previstas para julho deste ano, também adiadas. A informação surgiu através de um artigo do BFI, Instituto de Cinema Britânico, citando o filme do Cabeça de Teia ao lado de outros projetos como “The Batman” e “A Pequena Sereia”, que também estão paralisados.

É bom lembrar que a pré-produção do filme está acontecendo remotamente, com os funcionários em suas casas, evitando aglomerações e contato próximo. O diretor de fotografia Seamus McGarvey deu uma declaração ao BFI comentando que os trabalhos irão continuar eventualmente:

“Na semana passada estive em um estranho limbo cinematográfico, sem saber se vou conseguir filmar ou não. Existe uma quantidade significativa de preparação que pode ser feita remotamente, e realizamos reuniões diárias: o trabalho está progredindo e é necessário. O filme vai acontecer, eventualmente.”

No reporte, o BFI não confirma que o diretor de fotografia está falando sobre “Homem-Aranha 3”, mas o Discussing Film noticiou recentemente que McGarvey será o responsável pelo cargo no novo filme da Sony/Marvel, então as duas informações batem. McGarvey já trabalhou no MCU em “Os Vingadores”, de 2012.

Outro filme que tem Tom Holland como astro é a adaptação do game “Uncharted”, que teve sua data de estreia adiada devido a pandemia de coronavírus. A adaptação iniciaria sua produção antes das filmagens de “Homem-Aranha 3” por conta do ator, o que futuramente pode causar um problema na agenda de Holland.

“Homem-Aranha 3” contará com o retorno do diretor Jon Watts. O filme ainda tem sua data de estreia confirmada para 16 de julho de 2021.

O ator Dwayne Johnson, durante uma live em seu Instagram, confirmou que a sequência de “Hobbs Shaw” está em desenvolvimento (via ScreenRant). Johnson comentou estar empolgado e em busca de uma direção a seguir:

“Estamos desenvolvendo agora o próximo filme, e estou muito empolgado com isso… Só temos que decidir a parte criativa agora e a direção que vamos seguir.”

“Hobbs Shaw” foi o primeiro spin-off da franquia “Velozes e Furiosos”, que contou com Dwayne Johnson e Jason Statham reprisando seus papéis, respectivamente, como o agente da DSS Luke Hobbs e o mercenário Deckard Shaw. Na trama, os dois precisam unir forças ao lado de Hattie Shaw (Vanessa Kirby) para deter o ecoterrorista Brixton (Idris Elba).

O filme conta com quatro cenas pós-créditos que podem ditar a sequência, com as presenças da mãe de Shaw, Magdalene Shaw (Helen Mirren) atualmente presa, e o amigo de Hobbs da CIA, Locke, vivido por Ryan Reynolds. Ainda existe o assunto da identidade misteriosa do diretor da organização terrorista Eteon. “Hobbs Shaw” arrecadou US$ 759 milhões mundialmente.

Ainda não existe uma data de estreia oficial para a sequência. O nono filme da franquia “Velozes e Furiosos” estrearia em maio deste ano, porém, devido a pandemia de coronavírus, teve seu lançamento adiado para abril de 2021.

A pandemia chegou à galáxia muito, muito distante. O ator britânico Andrew Jack, que integrou o elenco de “Star Wars: O Despertar da Força” e “Star Wars: Os Últimos Jedi“, morreu aos 76 anos vítima da COVID-19. O representante do ator confirmou a informação ao Metro UK.

Jack interpretou um dos líderes da Resistência no universo de “Star Wars“, o major Caluan Emmatt. Ele trabalhava também como consultor de dialetos para filmes. Ele estava trabalhando nessa função em “The Batman“, dirigido por Matt Reeves. Ele também trabalhou com Robert Downey Jr. em “Chaplin” (1992) e com Pierce Brosnan em “007: GondenEye” (1997), além de ter formado sotaques da Terra-Média para a trilogia “O Senhor dos Anéis”.

Andrew Jack deixa sua esposa, a também consultora de dialetos Gabrielle Rogers.

De acordo com o Film Music Reporter, Lorne Balfe substituirá Alexandre Desplat na composição da trilha sonora de “Viúva Negra”. Esta é a segunda mudança de compositor do filme, que originalmente contava com Henry Jackman (“Capitão América: Soldado Invernal”) no cargo.

Balfe compôs recentemente a trilha de “Missão: Impossível – Efeito Fallout” e da série da HBO “His Dark Materials”. Ele já trabalhou no próprio Universo Cinematográfico da Marvel, tendo composto música adicional para “Homem de Ferro”. Balfe também contribuiu com música adicional para a trilogia do Batman de Nolan.

Não foi dada uma razão para a substituição de Desplat, mas o mais provável é que o adiamento da data de estreia de “Viúva Negra” tenha se apresentado como conflito de agenda para o compositor. Desplat é vencedor de dois Oscars, por “O Grande Hotel Budapeste” e “A Forma da Água”, e se reúne ao cineasta Wes Anderson em “The French Dispatch”, que (até o momento) estreia em julho deste ano.

Em “Viúva Negra”, Natasha Romanoff (Scarlett Johansson) confronta as partes mais sombrias de seu passado quando surge uma perigosa conspiração com conexões com parte de sua história. Perseguida por uma força que não irá parar por nada a fim de destrui-la, Natasha deve lidar com seu histórico como espiã e suas relações quebradas depois de ter deixado sua primeira família para trás.

O elenco conta ainda com David Harbour como Alexei, o Guardião Vermelho; Florence Pugh como Yelena Belova; O-T Fagbenle como Mason, um contato antigo de Natasha; e Rachel Weisz como Melina, também uma Viúva Negra. William Hurt faz parte do filme, reprisando o papel do General Thaddeus Ross, e Ray Winstone também faz parte do elenco. O vilão Treinador está no filme, mas não foi confirmada sua identidade e nem seu intérprete.

O longa é dirigido por Cate Shortland (“A Síndrome de Berlin“). A história é de Ned Benson (“Dois Lados do Amor”) e Jac Schaeffer (do curta “Olaf em uma Nova Aventura Congelante de Frozen”), e o roteiro é de Eric Pearson (“Thor: Ragnarok”). Johansson também exerce a função de produtora executiva do filme.

“Viúva Negra” estrearia em 30 de abril no Brasil e 1° de maio nos Estados Unidos, porém devido a pandemia de coronavírus, o filme foi adiado e ainda não possui data oficial de lançamento.