Disney liberou mais um trailer de “Carros 3“. Intitulado “O Limite” em tradução livre, o vídeo destaca que esta pode ser a última chance do protagonista Relâmpago McQueen nas pistas. Assista (ainda sem legendas):

Na trama, em decorrência de uma nova geração de carros velozes e potentes, o lendário McQueen é esquecido por seu esporte favorito. Para voltar à competição, ele precisará da ajuda de uma jovem técnica chamada Cruz Ramirez, com um plano próprio, inspirado no falecido Hudson Hornet. A fim de provar que a força do #95 ainda não morreu, seu coração será testado no maior estágio da Copa Pistão.

A animação marca a estreia de Brian Fee como diretor, que já trabalhou como animador em “Carros” (2006) e em “Wall-E” (2008).

“Carros 3” tem vozes de Owen Wilson (“Penetras Bons de Bico”), Armie Hamer (“Animais Noturnos”), Cristela Alonzo (“Angry Birds: O Filme”), Bonnie Hunt (“Treze é Demais”) e o piloto da NASCAR Darrell Waltrip. No Brasil, a animação terá a dublagem de nomes como Giovanna Ewbank (“Jogos Clandestinos”), Fernanda Gentil (apresentadora do programa de tv “Esporte Espetacular“) e do veterano piloto Rubens Barrichello.

O filme estreia em 13 de julho no Brasil.

Geoff Johns e Kevin Feige, chefões da DC e da Marvel, respectivamente, participaram de um evento na Califórnia em tributo ao diretor Richard Donner (“Os Goonies”) e lá falaram sobre como o trabalho do cineasta no primeiro filme do Superman influenciou as inúmeras produções baseadas em HQs que temos hoje. Confira o vídeo abaixo:

No vídeo, os diretores criativos das duas principais editoras de quadrinhos do mundo falaram sobre como o filme de Donner foi importante, tanto para o mercado como é hoje, mas, principalmente, para eles enquanto fãs de heróis.

Apesar de alguns outros filmes terem retratado super-heróis anteriormente, o Superman – O Filme”, de 1978, foi o primeiro blockbuster desse gênero, trazendo Christopher Reeve (“Em Algum Lugar do Passado”) para o papel do Homem de Aço. Onze anos depois, a DC inaugurou outra franquia com o Batman de Tim Burton (“O Lar das Crianças Peculiares”) que ganhou uma sequência direta e outras duas bem ruins que não se prenderam à cronologia anterior.

No final da década de 90, a Marvel começa a entrar no ramo dos filmes de super-herói com “Blade” e depois “X-Men”. Em 2002, o “Homem-Aranha” de Sam Raimi (“A Morte do Demônio”) estreia e firma o gênero de uma vez por todas. O resto é história…

O reboot de “Hellboy” vai nos apresentar uma nova visão da personagem. Com a intenção de produzir algo mais próximo dos quadrinhos, David Harbour (da série “Stranger Things”) vai viver um Hellboy com mais conflitos internos, ao menos é o que espera o ator. Durante uma entrevista à The Wrap, Harbour falou sobre o que espera para a nova versão:

“Muitas vezes, os filmes de super-heróis podem ser realmente divertidos e eu quero que isso seja muito divertido, mas eu também quero que seja mais sobre o personagem e mais sobre a luta desse cara. Eu acho que poderia ser interessante. Eu não sei, eu só espero que façamos um bom filme. Veremos. Vocês serão os juízes!”

O ator também falou sobre a relação entre Hellboy e Jim Hopper, seu personagem na série “Stranger Things”:

“É um personagem que eu amo, e de alguma forma, acho que Mike [Mignola] e um grupo de outras pessoas me viram em ‘Stranger Things’ e queria que eu fizesse Hellboy e acho que eles têm alguma relação. Eu acho que ele é outro anti-herói complicado que não é estritamente bom ou ruim, ele está apenas tentando fazer o que é certo. Eu acho que ele é um demônio, ele é louco e ele também é doce e vulnerável e neurótico, então há muita complexidade lá.”

O novo longa, anunciado após o diretor Guillermo Del Toro (“A Colina Escarlate”) decretar o cancelamento do terceiro filme da franquia original, será dirigido por Neil Marshall (“Juízo Final”). Mike Mingola, criador de Hellboy, irá co-escrever o roteiro do reboot, ao lado de Andrew Cosby e Christopher Golden.

Segundo rumores, as filmagens devem começar em setembro deste ano, com previsão de estreia para 2018.

A MarVista Entertainment divulgou o primeiro trailer oficial de “12 Feet Deep” (“3,5 metros de Profundidade” em tradução livre). O trailer apresenta duas irmãs que passam momentos claustrofóbicos presas em uma piscina olímpica.

Veja também o pôster:

“380.000 litros de água. 50 metros de largura. SEM. SAÍDA.“.

Inspirado em eventos reais, duas irmãs ficam presas sob uma fibra de vidro em uma piscina pública de tamanho olímpico, onde têm que suportar o frio e uma a outra para sobreviver à angustiante noite. Elas se encontram à mercê de uma faxineira noturna que as vê como uma oportunidade para resolver alguns de seus próprios problemas.

O elenco conta com Tobin Bell, o Jigsaw de “Jogos Mortais”, Diane Farr (“Wildlike: Coração Selvagem”), Nora-Jane Noone (“Um Novo Você”) e Alexandra Park (da série “The Royals”).

“12 Feet Deep” encontra-se em pré-venda na Amazon Vídeo e será lançado no dia 20 de junho de 2017.

O sucesso de “Mulher-Maravilha” nos cinemas se deve em muito à atuação de Gal Gadot (“Vizinhos Nada Secretos”) no papel principal. Seja nas cenas de ação, na inocência que a atriz consegue passar ou na relação dela com Chris Pine (“Star Trek: Sem Fronteiras”), fato é que Gadot conseguiu superar as expectativas e entregou uma excelente Diana. Porém, se dependesse da diretora Patty Jenkins (da série “The Killing”), o filme poderia ter outra atriz no elenco. A diretora revelou numa entrevista à revista Playboy que jamais teria escolhido Gal Gadot:

“Eu não teria feito o projeto se eu tivesse qualquer problema com ele. É por isso que a escalação é tão importante. Eu lembro que quando eu li a notícia de que tinham escalado a Mulher-Maravilha, meu coração gelou. Eu estava falando com o estúdio por tanto tempo sobre fazer o filme e eu fiquei: ‘Eu tenho certeza que eu não teria feito a mesma escolha’. Daí eu passei a prestar atenção nela e foi inacreditável. Francamente, eles fizeram um trabalho melhor do que eu poderia fazer. Eu não sei se eu teria vasculhado a Terra em busca dela. Eu não sei se teria olhado internacionalmente. Eu procuraria uma garota americana. O fato é que eles encontraram Gal e a escolheram e isso foi um presente mágico para mim. Eles foram muito inteligentes e eu teria procurado pelas mesmas qualidades da Mulher-Maravilha, mas eles que encontraram. Gal é a maior.”

“Mulher-Maravilha” entrou em cartaz nos cinemas brasileiros no dia 1° de junho.