Estão abertas as inscrições de curtas e longas para o Festival Internacional de Cinema da Fronteira. O registro é gratuito e vai até o dia 14 de abril. O evento acontece nos dias 23 e 24 de abril, nas cidades de Santana do Livramento e Rivera (Uruguai), e prossegue de 25 a 27, em Bagé. O regulamento completo e o envio de obras estão disponíveis na plataforma Festhome, pelo link goo.gl/ewt7hg.

Além das mostras competitivas, o festival traz oficinas, debates e shows musicais. Esta edição apresenta um recorte temático intitulado “O Renascer do Patrimônio”. O jornalista Roger Lerina assina a curadoria de longas-metragens. O evento tem direção artística de Zeca Brito e produção de Frederico Ruas e Maristela Ribeiro.

O Festival da Fronteira apresenta três categorias competitivas. A primeira, a Mostra Competitiva Internacional de Longas-metragens recebe títulos com duração mínima de 50 minutos, realizados em regiões de fronteiras nacionais ou em países lusófonos e latino-americanos. Os filmes deverão ser falados em português ou espanhol, ou estarem legendados para um desses idiomas. Para a Mostra Internacional de Curtas-metragens, podem ser enviadas produções de qualquer nacionalidade de até 15 minutos. Já a Mostra Competitiva Regional é aberta a curtas com até 15 minutos, realizados na faixa de fronteira Brasil/Uruguai.

O tema principal deste ano é o patrimônio histórico material e imaterial que será trabalhado através de oficinas que acontecem durante o mês de abril.

 

 

Não se engane pelo título – em “Operação Fronteira”, a divisa entre Paraguai, Brasil e Argentina é apenas um pretexto para o novo longa de ação original da Netflix. Tirando algumas placas direcionando para o nosso país e a oportunidade de ver Ben Affleck com uma lata de Brahma, não existem outras citações. Dirigido e roteirizado por J.C. Chandor (“O Ano Mais Violento”), a obra é produzida por Kathryn Bigelow e Mark Boal, responsáveis por “A Hora Mais Escura” e “Guerra ao Terror”.

O filme conta a história de um grupo de cinco ex-militares que tentam se adaptar novamente à vida após deixarem as operações em campo de batalha. Depois de tanto correr riscos pelos Estados Unidos, os mesmos não estão satisfeitos com o que recebem atualmente. Após conviverem com tanta violência, cada um se virou de um jeito para seguir em frente: William “Ironhead” Miller (Charlie Hunnam, de “Rei Arthur: A Lenda da Espada”) vive realizando palestras em pequenas cidades; seu irmão, Ben Miller (Garrett Hedlund, de “Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississippi”) virou um lutador de MMA; Tom “Redfly” Davis (Ben Affleck, de “Liga da Justiça”), fracassa diariamente no trabalho como corretor de imóveis.

Completam o grupo Francisco “Catfish” Morales (Pedro Pascal, de “Se a Rua Beale Falasse”), que perdeu sua licença de piloto após se envolver com drogas; e Santiago “Pope” Garcia (Oscar Isaac, de “No Portal da Eternidade”), que continuou atuando contra o narcotráfico na América do Sul. Pope é o responsável por recrutar o grupo novamente com uma proposta para matar o traficante Gabriel Martins Lorea (Reynaldo Gallegos, da série “S.W.A.T.”) e roubar seus US$ 75 milhões escondidos em uma casa protegida no meio da selva.

O roteiro do diretor, escrito em conjunto com Mark Boal, é corajoso por seguir um caminho fora do padrão, focando não só na ação, mas também na ética de cada personagem. O crime não é o principal mote da história; a dificuldade central é pensar em como transportar tanto dinheiro até uma área segura. O ritmo é mais lento do que os filmes de ação tradicionais, como “Os Mercenários”, que segue a mesma estrutura de formação de equipe e ação conjunta. Entre os personagens, apenas o quinteto é bem desenvolvido – tanto Lorea quanto Yovanna (Adria Arjona, de “Círculo de Fogo: A Revolta”), uma informante de Pope, têm pouquíssimo tempo de tela. O traficante é citado durante o filme inteiro como o causador de toda a crise na Tríplice Fronteira, mas sua presença vira apenas uma ameaça distante.

A dinâmica do grupo é natural pelos anos de convivência e o elenco consegue transparecer essa amizade com eficiência. Os personagens não buscam a violência, mas por meio dela criaram um propósito, afinal, atuar no campo de batalha é o principal talento destes homens. A moral dos atos de cada um é colocada em prova cena após cena, carregada apenas pela lealdade entre os integrantes. A ganância é outro tema invisível que permeia algumas questões ao longo da obra. Quanto vale a vida de uma pessoa? Vale a pena correr risco de vida em troca de segurança financeira? O maior interesse de Pope era encerrar a guerra do tráfico ou lucrar com isso?

Procurando responder todos estes temas, a história perde um pouco por ficar no meio do caminho entre a ação e a discussão ética. Entretanto, a coragem do diretor e um plot twist bem executado fazem toda a jornada de “Operação Fronteira” valer a pena.

A série de TV Fronteiras do Universo, que irá adaptar os livros da franquia A Bússola de Ouro‘, ganhou seu primeiro trailer.

Assista:

Antes mesmo da estreia, Fronteiras do Universo tem uma 2ª temporada confirmada pela BBC One. A informação é do Deadline.

A série, que é uma das mais caras do Reino Unido até hoje, terá mais oito episódios na 2ª temporada. As gravações já estariam acontecendo na cidade de Cardiff, no País de Gales.

A atriz mirim Dafne Keen, a Laura de Logan, estrelará a série. A atriz viverá a protagonista Lyra. James McAvoy (‘Fragmentado’) também está no elenco, junto com Lin Manuel-Miranda (‘Moana’). Ele viverá o piloto Lee Scoresby. E o diretor Tom Hooper (‘Os Miseráveis’) dirigirá ao menos 8 episódios.

Foram ao todo três livros publicados: ‘A Bússola de Ouro‘ (Northern Lights, 1995), ‘A Faca Sutil‘ (The Subtle Knife , 1997) e ‘A Luneta Âmbar‘ (The Amber Spyglass, 2000).

A saga de fantasia acompanha duas crianças, Lyra Belacqua e Will Parry, cujas histórias se entrelaçam durante suas aventuras por universos paralelos e uma guerra celestial envolvendo diversos mundos. Ciência, tecnologia, mágica, feiticeiras, ursos-polares falantes e gobblers são alguns dos elementos dos livros.

O primeiro livro foi adaptado aos cinemas em 2006, com o filme ‘A Bússola de Ouro‘ (His Dark Materials: The Golden Compass), que trazia Nicole Kidman, Daniel Craig, Eva Green, Eric Bana e Kevin Bacon em seu elenco. Com orçamento de US$ 180 milhões, o filme arrecadou apenas US$ 372 milhões mundialmente e encerrou a franquia.

A série será produzida pela Bad Wolf e New Line, ainda sem previsão de lançamento. Especula-se que a Apple e a Netflix estão na disputa para distribuir a série mundialmente.

 


Inscreva-se em nosso canal e receba conteúdo exclusivo » http://goo.gl/mPcJ5c