No próximo dia 9 de dezembro, serão anunciados os oito destaques da segunda etapa da Mostra Sesc de Cinema. A cerimônia de premiação será realizada no Rio de Janeiro, contemplando oito categorias: roteiro, direção, filme, direção de fotografia, direção de arte, direção de elenco, montagem e desenho de som. O público terá oportunidade de conhecer, antecipadamente, os 34 filmes que compõem a etapa nacional. Os 27 curtas e sete longas-metragens serão exibidos gratuitamente no Sesc Tijuca, na semana de 4 a 9 de dezembro.

Na abertura da mostra, dia 4, serão exibidos cinco curtas-metragens, um de cada região do país: Metempsicose (Norte), animação que apresenta um mundo devastado pelas mãos do homem; Vesti La Giubba (Centro-Oeste), filme inspirado na ópera Pagliacci, de Ruggero Leoncavallo; Galeria da Rua (Nordeste), documentário que aborda pixo e grafite sob a perspectiva daqueles que se expressam pelas paredes e muros da cidade; Flecha Dourada (Sul), documentário sobre os lutadores do grupo Golden Flecha; e Lençol de Inverno (Sudeste), sobre um coveiro na cidade grande que retorna à cidade natal para enterrar o pai e precisa revisitar fantasmas da juventude.

Ao longo da semana, as sessões serão compostas por curtas agrupados por regiões, sempre a partir das 16h. Para o público infanto-juvenil, as sessões de curtas serão no fim de semana, a partir das 15h. No sábado, 8/12, a Mostra Sesc exibe O Menino Leão e a Menina Coruja (Centro-Oeste); Metamorfose (Sudeste); Médico de Monstro (Sudeste) e No Caminho da Escola (Sudeste). Já no domingo, 9/12, será a vez de Òrun Àyié – A Criação do Mundo (Nordeste); Nham-Nham, a Criatura (Sul) e Garoto VHS (Sul).

A exibição dos longas-metragens começa na quarta-feira, 5/12, às 18h30, com O Sol Nasceu para Todos (Centro-Oeste). O filme retrata a história de uma das maiores comunidades da América Latina, Sol Nascente. No mesmo dia, às 20h, será exibido Desvios (Sul), um thriller psicológico que conta a história de um criminoso que põe à prova sua sanidade mental. Na quinta-feira, 6/12, às 18h30, tem sessão de Leste-Oeste (Sul), sobre um ex-piloto de kart que volta a sua cidade natal após 15 anos distante para disputar uma última corrida. Às 20h, o público poderá conferir Lamparina da Aurora (Nordeste), uma ficção experimental sobre o tempo protagonizada por um casal de idosos.

A programação inclui ainda os seguintes documentários: na sexta-feira, 7/12, às 20h, Aurora 1964 (Nordeste) joga luz sobre a ditadura; no sábado, 8/12, às 18h30, Escolas em Luta (Sudeste) fala sobre ocupações estudantis que ocorreram em São Paulo, em 2017, e o poder das redes sociais; e no mesmo dia, às 20h, Baronesa exibirá o cotidiano de duas vizinhas que vivem em um bairro na periferia de Belo Horizonte.

A 2ª Mostra Sesc de Cinema teve 1.061 filmes inscritos, sendo 952 curtas e 109 longas. A escolha das obras que compõem a exibição nacional foi feita por profissionais do Sesc. Já a seleção dos destaques, que serão premiados no dia 9, ficou a cargo de uma comissão formada por especialistas externos referências nas áreas de cultura e cinema: a crítica Maria Castanho Caú, graduada em Cinema pela UFF e doutora em Literatura pela UFRJ; Clementino Luiz de Jesus Junior, cineasta e educador, dourando em Educação na UNIRIO; e a cineasta Milena Manfredini, estudiosa de Antropologia da Arte e da Cultura (PUC Rio), Direção Cinematográfica (Escola de Cinema Darcy Ribeiro) e Artes Visuais (Escola de Artes Visuais do Parque Lage).

Lançado em 2015 pela Intrínseca, Caixa de Pássaros, que já vendeu mais de 170 mil exemplares no Brasil, deu origem ao filme Bird Box, que estreia dia 21 de dezembro na Netflix. O filme é também um dos destaques da Comic Con Experience 2018, que acontece no início do mês, em São Paulo. Com direção da dinamarquesa Susanne Bier e roteiro adaptado de Eric Heisserer, a produção da Netflix conta com elenco estrelado. Além de Sandra Bullock e Trevante Rhodes, que vêm ao Brasil para a Comic Con Experience, o elenco também tem nomes como Sarah Paulson e John Malkovich. O terror psicológico construído com primor em Caixa de Pássaros é prova do talento de Josh Malerman para elaborar narrativas de envolventes e perturbadoras.

Há algo que não pode ser visto. Algo que enlouquece as pessoas e as leva a cometer atos violentos seguidos de suicídio. Basta uma olhada para fora e a vida corre risco. As ruas estão vazias e os programas de TV não param de noticiar casos aterrorizantes. Novas vítimas surgem a todo momento e o governo não sabe explicar o que está acontecendo. A população foi aconselhada a trancar as portas e as janelas e a andar vendada.

Em uma narrativa cheia de mistério e suspense, Caixa de Pássaros conta a história assustadora de um surto inexplicável. Eleito um dos 11 melhores livros de estreia de 2014 pela Kirkus Reviews e uma das melhores obras de 2014 pelo site Book Riot, a obra ganha agora sobrecapa especial de sua adaptação como filme.

Sobre o autor: Josh Malerman é escritor, músico, cantor e compositor da banda de rock The High Strung e autor de Piano vermelho Uma casa no fundo de um lago. Josh mora no Michigan, Estados Unidos, com a noiva.

Caixa de Pássaros: Bird Box
Autor: Josh Malerman
Tradução: Carolina Selvatici
Editora: Intrínseca
Páginas: 272
Preço: R$ 34,90 / 22,90 (e-book)

Nesta quinta-feira, 29 de novembro, foi aprovado o novo modelo para aferição da Cota de Tela de 2019, durante o sétimo encontro da Câmara Técnica do Segmento de Mercado de Salas de Exibição, presidido pelo diretor-presidente da ANCINE, Christian de Castro. O modelo aprovado consolida a proposta de aferição por sessão, em consonância com a prática já estabelecida pelo mercado. A medida prevê ainda incremento de 20% do cumprimento da cota para sessões após às 17h, e a divulgação das médias das salas, o que reduzirá a assimetria de informação no setor, dando mais transparência na negociação para a manutenção de obras brasileiras em exibição.

Fica acordado também a Cota de Tela por Grupo Exibidor com mínimo de sessões por complexo, sem transferência entre o grupo. Ou seja, haverá um escalonamento da obrigação da cota, de acordo com o número de salas de um complexo exibidor, que será medida em porcentagens de sessões. De acordo com essa lógica, grupos menores devem possuir uma obrigação de cota menor e o percentual de obrigação de cota de tela deve ser tanto maior, quanto mais salas detiver o grupo exibidor. Na prática, se um grupo exibidor de 10 salas exibe 1.000 sessões anuais, a obrigação desse grupo deve ser de 100 sessões de filmes nacionais.

O aperfeiçoamento na aferição foi possível também graças aos dados das salas de cinema fornecidos diariamente à ANCINE, através do Sistema de Controle de Bilheteria (SCB), implementado em 2016.

Um dos instrumentos mais antigos e mais utilizados para proteger e fomentar a produção audiovisual nacional, a Cota de Tela para o filme brasileiro foi estabelecida pela primeira vez em 1932, com o objetivo de contrapor a presença hegemônica do produto cinematográfico estrangeiro, especialmente dos filmes das majors hollywoodianas.

A proposta de modelo aprovada na reunião seguirá agora para a Oitiva e em seguida encaminhada para a Presidência da República, que tem até o fim do ano para publicar o Decreto da Cota de Tela de 2019.

O Sesc RJ amplia sua atuação na área audiovisual com o lançamento do Sesc Argumenta, laboratório imersivo gratuito que propõe uma consultoria especializada a novos autores de projetos cinematográficos. Nesta 1ª edição, que acontece entre os dias 3 e 7 dezembro no Sesc Nogueira, em Petrópolis, foram selecionados 10 argumentos de longa-metragem. Além dos vencedores do processo seletivo, o Sesc RJ abre a oportunidade para que outros interessados também possam participar como ouvintes das Masterclasses oferecidas, disfrutando do conhecimento de profissionais do mercado cinematográfico.

Serão oferecidas três Masterclasses sobre a escrita e o desenvolvimento de roteiros e uma palestra sobre produção cinematográfica. Os encontros acontecem sempre a partir das 9h. Na terça-feira, dia 4 de dezembro, David França Mendes conduz a primeira Masterclass; na quarta (5) é a vez de Melanie Dimantas e na quinta (6), Kleber Mendonça Filho encerra a agenda de Masterclasses. Na sexta (7), fechando o projeto, Clélia Bessa fará uma palestra sobre Produção Cinematográfica.

Para se inscrever, basta enviar nome completo, data de nascimento, CPF, grau de escolaridade e telefone, para o e-mail sescargumenta@sescrio.org.br.

Ao todo, a instituição recebeu 423 inscrições e foram avaliados 250 argumentos (100 a mais do que o previsto em edital). Dezenove estados brasileiros estavam representados (AM, AP, BA, CE, DF, ES, GO, MT, MG, PA, PB, PE, PR, RJ, RN, RR, RS, SC e SP). Deste volume, 163 inscrições foram realizadas por mulheres e 260 por homens, no entanto, entre os escolhidos estão 7 mulheres e 3 homens.

Em entrevista ao portal Inquirer.netCary Fukunaga (da série “Maniac“) falou um pouco sobre seus planos para “Bond 25“, próximo filme da franquia “007“. Após um processo conturbado, o diretor assumiu o posto deixado por Danny Boyle (“T2 Trainspotting“) e enfim tem a oportunidade de planejar sua visão para o longa e definir como ele e encaixará com os demais filmes (via Collider):

“Em termos do que posso agregar ao personagem, Bond está em um arco que começou com ‘Casino Royale’ e eu pretendo continuar nessa direção. Haverá mudanças, tenho certeza. Como em qualquer história, o personagem tem que mudar para que se tenha uma narrativa.”

Quando questionado sobre os rumores da ausência dos personagens Blofeld e Q, vividos respectivamente por Christoph Waltz (“Pequena Grande Vida”) e Ben Whishaw (“O Retorno de Mary Poppins”), Fukunaga foi direto:

“Quem vem dizendo isso? Não terminamos o roteiro, então não tem como ninguém saber disso. São dois atores extraordinários, então se houver espaço para eles na história, eu com certeza os quero lá. Mas ainda não sei o que vai ser do roteiro.”

Neste novo filme, a Sony, responsável por distribuir os últimos quatro filmes da série, não estará envolvida na produção e distribuição, que ficarão a cargo da Universal. No mercado norte-americano, a distribuição ficará a cargo da MGM, em parceria com a Annapurna Pictures. A produção, como de costume, permanece nas mãos da Eon Productions, comandada por Michael G. Wilson e Barbara Broccoli.

Até o momento, o único nome confirmado no projeto é o do ator Daniel Craig (“Logan Lucky: Roubo em Família“), que interpretará James Bond pela quinta vez. Detalhes sobre a trama ainda não foram revelados.

“Bond 25” estreia em 14 de fevereiro de 2020.