O primeiro contato de Vladimir com a obra e a figura de Cícero Dias foi através do pai, que era iniciado nas artes, desenhava, esculpia e sabia tudo sobre o pintor pernambucano. Em 2005, numa viajem à Paris realizada dentro das celebrações do ano Brasil França, Vladimir soube da restrospectiva do pintor, que acontecia na capital francesa e, com uma câmera emprestada, filmou a exposição. Em contato com a viúva e a filha de Cícero Dias, teve acesso ao material de arquivo e ao atelier do pintor e ali decidiu realizar um documentário sobre o modernista. De volta ao Brasil, Vladimir lançou dois longas e só retornou ao projeto em 2014, que foi filmado em Paris, Pernambuco – Jundiá e Recife, Curitiba e Rio de Janeiro.

Pintor pernambucano ligado aos modernistas, Cícero Dias (1907-2003) radicou-se em Paris a partir de 1937, fugindo da perseguição política do Estado Novo. Apesar da distância do país natal, ele nunca perdeu de vista as cores e os sons de sua infância, na casa de Jundiá, mesclando essas raízes com a convivência com nomes de ponta das vanguardas europeias, como Pablo Picasso, Fernand Léger e Juan Miró. Dessa troca de influências, nasceu um pintor de repercussão internacional, que transformou toda a sua vivência, inclusive sua reclusão durante a Segunda Guerra Mundial, na base de uma arte que atravessa fronteiras.

“Cícero Dias, o Compadre de Picasso” será lançado simultaneamente em quatro capitais, Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo e Curitiba, em 3 de novembro.

Na noite de premiação da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, ocorrida ontem (02/11), no Auditório Ibirapuera, foram anunciados os vencedores da 40ª edição do evento.

Confira abaixo os premiados:

PRÊMIO DO JÚRI INTERNACIONAL                                                                                    

Os filmes da seção Competição Novos Diretores mais votados pelo público foram submetidos ao Júri Internacional, que escolheu os vencedores do Troféu Bandeira Paulista (uma criação da artista plástica Tomie Ohtake), nas categorias melhor filme de ficção, Menção Honrosa para duas atrizes e Prêmio Abbas Kiarostami, criado pelo júri para laurear um filme iraniano.

MELHOR FILME

  • EL AMPARO (EL AMPARO), de Rober Calzadilla | 2016 │ cor│ 99 min.│ Ficção│VENEZUELA

MENÇÃO HONROSA DO JÚRI

  • ATRIZ – MIRJANA KARANOVIC, por A BOA ESPOSA (DOBRA ZENA) |2016 | cor | 94min.| Ficção| SÉRVIA, BÓSNIA-HERZEGOVINA, CROÁCIA
  • ATRIZ –  LENE CECILIA SPARK, por SÁMI BLOOD (SAMEBLOD) |2016 |cor| 110min. | Ficção | SUÉCIA

PRÊMIO ABBAS KIAROSTAMI

  • MAAT (MAAT), de Saba Kezemi |2016 | cor | 92min. | Ficção| IRÃ

Júri Internacional: Lita Stantic, Vasco Pimentel, Nicolas Klotz, Jeferson De, Bette Gordon e Peter Brosens.

PRÊMIO DO PÚBLICO                                                                                                             

Além dos prêmios outorgados pelo Júri Internacional, o público da 40ª Mostra escolheu, entre os estrangeiros, o melhor filme de ficção (The Handmaiden) e o melhor documentário (empate entre dois títulos: Gurumbé e Gaga), e os melhores brasileiros nas duas categorias (a ficção Era o Hotel Cambridge e o documentário Martírio).

Os dois títulos brasileiros receberão da Spcine – Empresa de Cinema e Audiovisual de São Paulo – um total de R$ 50 mil, sendo R$ 35 mil para Era o Hotel Cambridge e R$ 15 mil para Martírio. Os dois filmes foram escolhidos pelo público da Mostra.

A escolha do público é feita por votação. A cada sessão assistida o espectador recebeu uma cédula para votar com uma escala de 1 a 5, entregue sempre ao final do filme. O resultado proporcional dos filmes com maiores pontuações é:

MELHOR FILME DE FICÇÃO INTERNACIONAL

  • THE HANDMAIDEN, de Park Chan-wook |2016 | cor| 145 min. | Ficção | Coréia do Sul

MELHOR DOCUMENTÁRIO INTERNACIONAL

  • GURUMBÉ – CANCIONES DE TU MEMORIA NEGRA, de Miguel Ángel Rosales | 2016 | cor | 72min. | Doc| ESPANHA
  • GAGA – O AMOR PELA DANÇA, Tomer Heymann |2015 | cor | 100min.| Doc. | ISRAEL, SUÉCIA, ALEMANHA, HOLANDA

 

MELHOR FILME BRASILEIRO DE FICÇÃO – Prêmio Spcine: R$ 35 mil

  • ERA O HOTEL CAMBRIDGE, de Eliane Caffé | 2016| cor| 93min.| Ficção| BRASIL, FRANÇA

MELHOR DOCUMENTÁRIO BRASILEIRO – Prêmio Spcine: R$ 15 mil

  • MARTÍRIO, de Vincent Carelli, de Vincent Carelli | 2016| cor| 160min.| Doc.| BRASIL

PRÊMIO DA CRÍTICA                                                                                                         

MELHOR FILME INTERNACIONAL

  • DEPOIS DA TEMPESTADE (Umi Yori Mo Mada Fukaku), de Hirokazu Koreeda | 2016 │ cor│ 117 min.│ Ficção│Japão

MELHOR FILME BRASILEIRO

  • PITANGA, (Pitanga) de Beto Brant, Camila Pitanga |2015| cor| 90min. | doc.| Brasil

PRÊMIO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ROTEIRISTAS E AUTORES           

MELHOR ROTEIRO DA COMPETIÇÃO NOVOS DIRETORES 

  • EL AMPARO(EL AMPARO) de Rober Calzadilla | 2016 │ cor│ 99 min.│ Ficção│VENEZUELA.

 

Júri ABRA: Mariana Morgon, Paulo Weences Duarte e Lilian Iaki

PRÊMIO DA ABRACCINE                                                                                            

MELHOR FILME

  • A MULHER DO PAI (MULHER DO PAI), Cristiane Oliveira |2015| cor| 94min. |Ficção| BRASIL, URUGUAI

JÚRI ABRACCINE – Humberto Silva, Luciana Veras e Willian Silveira.

PRÊMIO HUMANIDADE                                                                                         

  • ANDRZEJ WAJDA

O Prêmio Humanidade da 40ª Mostra, que o evento outorga todo ano a um diretor cuja obra reflete questões humanísticas, foi homenagem póstuma ao cineasta Andrzej Wajda, que ganhou uma retrospectiva especial, dentro do Foco Polônia. O prêmio foi entregue ao crítico polonês Tadeusz  Lubelski, que levou o troféu para a Escola Wajda.

PRÊMIO LEON CAKOFF                                                                                          

  • MARCO BELLOCCHIO

Nesta 40ª Mostra, Marco Bellocchio foi homenageado pelo evento com o Prêmio Leon Cakoff e a apresentação do longa BELOS SONHOS, além de uma retrospectiva de 11 títulos do diretor. 

  • WILLIAM FRIEDKIN

O diretor americano William Friedkin, também foi homenageado com o prêmio Leon Cakoff e a exibição de sete títulos, incluindo “O EXORCISTA” e “OPERAÇÃO FRANÇA”, longa que completa 45 anos em 2016.

  • ANTÔNIO PITANGA

O ator Antonio Pitanga também ganhou homenagem do evento com o Prêmio Leon Cakoff, além da exibição do documentário PITANGA, de Beto Brant e Camila Pitanga, e de dois filmes protagonizados por ele (BARRAVENTO e A GRANDE CIDADE).

O BrLab, laboratório de desenvolvimento de projetos audiovisuais, desenvolvido pela Klaxon Cultura Audiovisual e realizado em parceria com a Spcine e com a Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, anunciou os vencedores da 6ª edição do laboratório, que aconteceu entre 21 e 28 de outubro, durante a 40ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, evento que apoia institucionalmente o laboratório desde 2013, junto com a ANCINE – Agência Nacional do Cinema.

Confira os premiados:

Prêmio Aquisição Figa/Br
Vento Seco
Diretor Daniel Nolasco
Produtor Thiago Yamachita Costa

Prêmio Aquisição Vitrine Filmes
Teia
Diretora Leonor Noivo
Produtor João Matos

Prêmio Cinéma en Développment
Sábado Morto
Diretor Leonardo Lacca
Produtor Kika Latache

Prêmio de Mentoria do Tribeca Film Institute
Ave y Nada
Diretor Jose Antonio Cordero
Produtora Alejandra Sanchez

Livramento
Diretora Lilah Halla
Produtora Clarissa Guarilha

Susan Carne e Osso
Diretora Lia Kalakaukas
Produtor Paulo Serpa

Miami Film Festival
Adeus Alma Selvagem
Diretora Nathalia Tereza
Produtores Andy Malafaia, Luiza Favale e Mayra Lucas