O Programa Encontros com o Cinema Brasileiro, iniciativa da ANCINE em parceria com o Ministério das Relações Exteriores (MRE), anunciou os dez longas-metragens que serão exibidos ao curador da Quinzena dos Realizadores, Paolo Trotta. Os filmes terão sessões exclusivas, nos dias 31 de janeiro e 1º de fevereiro, no Museu de Arte Moderna (MAM), no Rio de Janeiro. Paolo Trotta veio ao Brasil a convite da Mostra de Cinema de Tiradentes.

De um total de 52 longas-metragens inscritos na 14ª edição do Programa, foram selecionados para exibição:

“Através da Sombra”, de Walter Lima Jr (Casa Forte Produções)
“Elis”, de Hugo Prata (Zulu Filmes)
“Eu te Levo”, de Marcelo Muller (Academia de Filmes)
“Exodus”, de Hank Levine (O2 Filmes)
“Os Incontestáveis”, de Alexandre Serafini (Ladart Produções)
“Mulher do Pai”, de Cristiane Oliveira (Okna Produções)
“Para ter Onde Ir”, de Jorane Castro (Cabocla Filmes)
“Redemoinho”, de José Luiz Villamarin (Bananeira Filmes)
“A Superfície da Sombra”, de Paulo Nascimento (Accorde Filmes)
“Xale”, de Douglas Soares (Acalante Filmes)

Cinco dos dez filmes foram realizados por empresas produtoras associadas ao Programa Cinema do Brasil, parceiro do Encontros. Os longas foram escolhidos diretamente pelo curador, a partir dos teasers e das informações fornecidas pelas inscrições no programa.

Seção paralela ao Festival de Cannes, organizada pela Sociedade de Realizadores de Filmes, a Quinzena dos Realizadores tem por objetivo descobrir novos talentos e reverenciar realizadores já conhecidos. Foi na Quinzena que filmes de grandes realizadores foram exibidos pela primeira vez. Criada em 1968, por lá já passaram Werner Herzog, George Lucas, Martin Scorsese, Jim Jarmusch, Chantal Akerman, Sofia Coppola e muitos outros. A Quinzena dos Realizadores acontecerá em maio.

O Programa Encontros com o Cinema Brasileiro, iniciativa da ANCINE em parceria com o Ministério das Relações Exteriores (MRE), anunciou os dez longas-metragens que serão exibidos ao curador da Quinzena dos Realizadores, Paolo Trotta. Os filmes terão sessões exclusivas, nos dias 31 de janeiro e 1º de fevereiro, no Museu de Arte Moderna (MAM), no Rio de Janeiro. Paolo Trotta veio ao Brasil a convite da Mostra de Cinema de Tiradentes.

De um total de 52 longas-metragens inscritos na 14ª edição do Programa, foram selecionados para exibição:

“Através da Sombra”, de Walter Lima Jr (Casa Forte Produções)
“Elis”, de Hugo Prata (Zulu Filmes)
“Eu te Levo”, de Marcelo Muller (Academia de Filmes)
“Exodus”, de Hank Levine (O2 Filmes)
“Os Incontestáveis”, de Alexandre Serafini (Ladart Produções)
“Mulher do Pai”, de Cristiane Oliveira (Okna Produções)
“Para ter Onde Ir”, de Jorane Castro (Cabocla Filmes)
“Redemoinho”, de José Luiz Villamarin (Bananeira Filmes)
“A Superfície da Sombra”, de Paulo Nascimento (Accorde Filmes)
“Xale”, de Douglas Soares (Acalante Filmes)

Cinco dos dez filmes foram realizados por empresas produtoras associadas ao Programa Cinema do Brasil, parceiro do Encontros. Os longas foram escolhidos diretamente pelo curador, a partir dos teasers e das informações fornecidas pelas inscrições no programa.

Seção paralela ao Festival de Cannes, organizada pela Sociedade de Realizadores de Filmes, a Quinzena dos Realizadores tem por objetivo descobrir novos talentos e reverenciar realizadores já conhecidos. Foi na Quinzena que filmes de grandes realizadores foram exibidos pela primeira vez. Criada em 1968, por lá já passaram Werner Herzog, George Lucas, Martin Scorsese, Jim Jarmusch, Chantal Akerman, Sofia Coppola e muitos outros. A Quinzena dos Realizadores acontecerá em maio.

Na noite de sábado de 30 de janeiro, o filme “Jovens Infelizes ou um Homem que Grita não é um Urso que Dança”, produção paulista de Thiago B. Mendonça, foi o grande vencedor do Troféu Barroco de melhor longa-metragem da Mostra Aurora, na escolha do Júri da Crítica, da 19ª Mostra de Cinema de Tiradentes. Exibido na sexta-feira, dia 29, a produção acompanha um grupo de jovens numa São Paulo cheia de conflitos sociais e urbanos.

O Júri da Crítica também premiou um curta-metragem da Mostra Foco. O escolhido foi “Noite Escura de São Nunca” (RJ), de Samuel Lobo.

Por sua vez, o Júri Jovem – formado por cinco estudantes universitários entre 18 e 25 anos – avaliou os longas da Mostra Transições. O escolhido foi “Tropykaos” (BA), de Daniel Lisboa.

Pelo Júri Popular, os vencedores foram o longa “Geraldinos” (RJ), de Pedro Asbeg e Renato Martins; e o curta “Madrepérola” (RS), de Deise Hauenstein.

O Prêmio Aquisição Canal Brasil foi para o curta-metragem “Eclipse Solar” (ES), de Rodrigo de Oliveira.

Confira os prêmios e vencedores da 19ª Mostra de Cinema de Tiradentes:

Melhor curta pelo Júri Popular: “Madrepérola” (RS), de Deise Hauenstein
– Troféu Barroco
– R$ 5 mil em serviços de iluminação da Ciario
– 20 horas de mixagem do CTAV
– R$ 8 mil em serviços de finalização da Mistika

Melhor curta da Mostra Foco pelo Júri da Crítica: “Noite Escura de São Nunca” (RJ), de Samuel Lobo
– Troféu Barroco
– R$ 5 mil em serviços de iluminação da Ciario, acessórios e maquinários
– Empréstimo de câmeras do CTAV
– Duas diárias de correção de cor e master DCP para até 20 minutos da Dot Cine

Melhor curta pelo Canal Brasil: “Eclipse Solar” (ES), de Rodrigo de Oliveira
– R$ 15 mil do Canal Brasil

Melhor longa da Mostra Transições pelo Júri Jovem: “Tropykaos” (BA), de Daniel Lisboa
– Troféu Barroco
– R$ 8 mil em iluminação, acessórios e maquinário da Ciario
– R$ 10 mil em pós-produção da Cinecolor
– R$ 15 mil em pós-produção da 02 Pós

Melhor longa da Mostra Aurora pelo Júri da Crítica: “Jovens Infelizes ou um Homem que Grita não é um Urso que Dança” (SP), de Thiago B. Mendonça
– Troféu Barroco
– R$ 8 mil em iluminação, acessórios e maquinário da CiaRio
– R$ 10 mil em pós-produção da Cinecolor
– R$ 15 mil em pós-produção da 02 Pós
– Master DCP para longa até 120 minutos da Dotcine

Melhor longa pelo Júri Popular: “Geraldinos” (RJ), de Pedro Asbeg e Renato Martins
– Troféu Barroco
– R$ 30 mil em finalização da Mistika

Na noite de sábado de 30 de janeiro, o filme “Jovens Infelizes ou um Homem que Grita não é um Urso que Dança”, produção paulista de Thiago B. Mendonça, foi o grande vencedor do Troféu Barroco de melhor longa-metragem da Mostra Aurora, na escolha do Júri da Crítica, da 19ª Mostra de Cinema de Tiradentes. Exibido na sexta-feira, dia 29, a produção acompanha um grupo de jovens numa São Paulo cheia de conflitos sociais e urbanos.

O Júri da Crítica também premiou um curta-metragem da Mostra Foco. O escolhido foi “Noite Escura de São Nunca” (RJ), de Samuel Lobo.

Por sua vez, o Júri Jovem – formado por cinco estudantes universitários entre 18 e 25 anos – avaliou os longas da Mostra Transições. O escolhido foi “Tropykaos” (BA), de Daniel Lisboa.

Pelo Júri Popular, os vencedores foram o longa “Geraldinos” (RJ), de Pedro Asbeg e Renato Martins; e o curta “Madrepérola” (RS), de Deise Hauenstein.

O Prêmio Aquisição Canal Brasil foi para o curta-metragem “Eclipse Solar” (ES), de Rodrigo de Oliveira.

Confira os prêmios e vencedores da 19ª Mostra de Cinema de Tiradentes:

Melhor curta pelo Júri Popular: “Madrepérola” (RS), de Deise Hauenstein
– Troféu Barroco
– R$ 5 mil em serviços de iluminação da Ciario
– 20 horas de mixagem do CTAV
– R$ 8 mil em serviços de finalização da Mistika

Melhor curta da Mostra Foco pelo Júri da Crítica: “Noite Escura de São Nunca” (RJ), de Samuel Lobo
– Troféu Barroco
– R$ 5 mil em serviços de iluminação da Ciario, acessórios e maquinários
– Empréstimo de câmeras do CTAV
– Duas diárias de correção de cor e master DCP para até 20 minutos da Dot Cine

Melhor curta pelo Canal Brasil: “Eclipse Solar” (ES), de Rodrigo de Oliveira
– R$ 15 mil do Canal Brasil

Melhor longa da Mostra Transições pelo Júri Jovem: “Tropykaos” (BA), de Daniel Lisboa
– Troféu Barroco
– R$ 8 mil em iluminação, acessórios e maquinário da Ciario
– R$ 10 mil em pós-produção da Cinecolor
– R$ 15 mil em pós-produção da 02 Pós

Melhor longa da Mostra Aurora pelo Júri da Crítica: “Jovens Infelizes ou um Homem que Grita não é um Urso que Dança” (SP), de Thiago B. Mendonça
– Troféu Barroco
– R$ 8 mil em iluminação, acessórios e maquinário da CiaRio
– R$ 10 mil em pós-produção da Cinecolor
– R$ 15 mil em pós-produção da 02 Pós
– Master DCP para longa até 120 minutos da Dotcine

Melhor longa pelo Júri Popular: “Geraldinos” (RJ), de Pedro Asbeg e Renato Martins
– Troféu Barroco
– R$ 30 mil em finalização da Mistika