Em cerimônia realizada na Cinemateca Brasileira de São Paulo, na noite da última sexta-feira, 28 de agosto, o Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo anunciou os filmes premiados de sua 26ª edição, que teve início em 19 de agosto. Em setembro, o festival apresenta destaques de sua programação nas cidades de Fortaleza (de 3 a 6), Santo André (5, 12, 19 e 26), São José dos Campos (de 10 a13) e Ribeirão Preto (19 e 20).

Sem caráter competitivo, o festival conta com apoiadores e patrocinadores na distribuição de diferentes prêmios e troféus para os realizadores participantes do evento. Confira os vencedores deste ano:

PRÊMIO ITAMARATY
(Prêmio no valor de R$ 20.000,00)

Prêmio: “O Castelo”, de Helena Ungaretti, Guilherme Giufrida, Alexandre Wahrhaftig e Miguel Ramos (SP)
Menção Honrosa: “Filme Som”, de Cesar Gananian e Alexandre Moura (SP)

PRÊMIO REVELAÇÃO PETROBRAS
(Os parceiros oferecem: Locall – R$ 15.000,00 em diárias de estúdio, base de produção e locação de equipamentos de luz; JKL – Cessão de seis diárias de uma câmera Canon C300 completa com jogo de lentes fixas Cooke Panchro; DOT – Processamento de imagem, correção de cor, finalização em 2K e masterização em DCP; Cinecolor Digital – 40 horas de edição de som e 16 horas de mixagem; Playrk30 – Composição e gravação de trilha sonora; CTAv – Cessão de equipamentos e serviços de mixagem; Petrobras – R$ 10.000,00 ao diretor para a realização de um filme a ser exibido no 27º Festival de Curtas de São Paulo).

“Macapá”, de Marcos Ponts (UFMA – MA)

PRÊMIOS AQUISIÇÃO

PRÊMIO CANAL BRASIL DE INCENTIVO AO CURTA-METRAGE
(Prêmio de aquisição de R$ 15.000,00)

“João Batista”, de Rodrigo Rezende Meireles (MG)

PRÊMIOS SESCTV PARA NOVOS TALENTOS
(Dois prêmios de aquisição de R$ 10.000,00 cada)

Melhor filme brasileiro de diretor estreante: “Macapá”, de Marcos Ponts (MA)
Melhor filme internacional de diretor estreante: “Eu + Ela”, de Joseph Oxford (EUA)

PRÊMIO CANAL CURTA! E PORTA CURTAS
(Dois prêmios-aquisição no valor de R$ 5.000,00 cada)

Melhor filme da Mostra Brasil: “Retrato de Carmem D.”, de Isabel Joffily (RJ)
Melhor filme do Panorama Paulista: “Chapa”, de Fábio Montanari (SP)

TROFÉUS

CTAv

“Até a China”, de Marcelo Marão (RJ)
“Cordilheira de Amora II”, de Jamille Fortunato (MS)

ABD-SP

Melhor filme do Panorama Paulista: “Rua da Solidariedade”, de Jader Chahine e João Paulo Bocchi (SP)

TROFÉU ABCA “O KAISER” PARA MELHOR ANIMADOR

Carlos Eduardo Nogueira, pelo filme “Mobios” (SP)

CACHAÇA CINEMA CLUBE

Melhor filme Nativo: “Cordilheira de Amora II”, de Jamille Fortunato (MS)
Melhor filme de Falo: “Virgindade”, de Chico Lacerda (PE)
Melhor filme de Família: “Ensaio Sobre Minha Mãe”, de Jocimar Dias Jr. (RJ)

OS FAVORITOS DO PÚBLICO

MOSTRA BRASIL

“Até a China”, de Marcelo Marão (RJ)
“Ciclo 7×1”, de Gil Baroni (PR)
“Cordilheira de Amora II”, de Jamille Fortunato (MS)
“De Profundis”, de Isabela Cribari (PE)
“João Batista”, de Rodrigo Rezende Meireles (MG)
“Muros”, de Camele Queiroz e Fabricio Ramos (BA)
“No Devagar Depressa Dos Tempos”, de Eliza Capai (SP)
“O Teto Sobre Nós”, de Bruno Carboni (RS)
“Retrato de Carmem D.”, de Isabel Joffily (RJ)
“Uma Família Ilustre”, de Beth Formaggini (RJ)

MOSTRAS INTERNACIONAL E LATINO-AMERICANA

“Inspeção”, de Gala Sukhanova (Rússia)
“Kacey Mottet Klein, Nascimento de um Ator”, de Ursula Meier (Suíça)
“Nº 27”, de Lola Peploe (França)
“O Amor é Cego”, de Dan Hodgson (Reino Unido)
“Oh, Lucy”, de Atsuko Hirayanagi (Japão/Singapura/EUA)
“Pai”, de Lotfi Achour (Tunísia/França)
“Rebanho”, de Ruslan Akhun (Quirguistão)
“Uma Vida em Compacto”, de Job Roggeveen, Joris Oprins e Marieke Blaauw (Holanda)
“When I Get Home”, de Aldemar Matias (Cuba)
“Zimbo”, de Juan Medina e Rita Basulto (México)

Católico, comunista, viciado em jogo, gênio do drama. Vittorio De Sica (1901-1974), um dos principais introdutores do neorrealismo no cinema italiano, é o diretor em destaque na nova mostra do projeto Tela Clássica, do Sesc Pinheiros. Às terças-feiras dos meses de setembro, outubro e novembro, serão exibidos gratuitamente no Auditório dez dos principais títulos da cinematografia de Vittorio De Sica, cujas realizações, de forte carga política e dramática, narradas por meio de histórias de singeleza e humanismo, evidenciam o espírito do povo italiano, sobretudo no período posterior à Segunda Guerra Mundial.

De Sica iniciou sua carreira como ator, em 1917, função que desempenhou até o final da vida – em mais de 50 anos de cinema, além dos 35 filmes dirigidos, atuou em cerca de 150 produções. Capaz de transitar pelo drama e pela comédia com versatilidade, diante ou atrás das câmeras, De Sica possuía grande intimidade para lidar com temas como a pobreza, a fome e a exclusão social, características que o movimento neorrealista revelou e refletiu para todo o mundo. Exemplos notáveis são as obras criadas em colaboração com seu roteirista predileto, Cesare Zavattini, que viraram clássicas do cinema mundial, como “Vítimas da Tormenta” (1946), “Ladrões de Bicicleta” (1948), “Milagre em Milão” (1951) e “Umberto D”(1952), todas contempladas na série de exibições do Sesc Pinheiros, que acontecerá de 1º de setembro a 24 de novembro, todas terças-feiras, às 20h.

 

Tela Clássica: Mostra Vittorio De Sica
Data:
 1º de setembro a 24 de novembro. Terças-feiras, às 20h
Local: Auditório (3º andar do Sesc Pinheiros; capacidade: 98 lugares) Sesc Pinheiros – Endereço: Rua Paes Leme, 195 – São Paulo
Entrada gratuita, com retirada de ingressos com uma hora de antecedência.
Estacionamento com manobrista: Terça a sexta, das 7h às 22h; Sábado, domingo, feriado, das 10h às 19h. Taxas / veículos e motos: Matriculados no Sesc: R$ 6,00 nas três primeiras horas e R$ 1,00 a cada hora adicional. Não matriculados no Sesc: R$ 8,00 nas três primeiras horas e R$2,00 a cada hora adicional.

Voltado para a capacitação do setor audiovisual, o Objetiva – Empreendedorismo em Foco leva a Recife o módulo “Transmídia e Inovação”, entre os dias 1º e 4 de setembro, no bairro de Boa Viagem. Além da capital pernambucana, a iniciativa realizada pela APRO (Associação Brasileira da Produção de Obras Audiovisuais) e pelo SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), já passou pelas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Brasília.

Com carga de 24 horas/aula, a etapa será coordenada por Rodrigo Arnaut, Mestre em Ciências pela Escola Politécnica da USP, pós-graduado em Gestão Empresarial e Inovação Tecnológica pela ESPM, Engenheiro de Computação (USTJ) e Técnico em Eletrônica pela ETE GV. Especialista da área, ele é curador de um núcleo de estudos sobre transmídia (#EraTransmidia), professor de curso sobre o tema na ESPM e líder de inovação e pesquisa de sistemas de TV no departamento de PD da TV Globo. Além de Arnaut, o módulo contará também com Rodrigo M. Terra entre os consultores. Graduado em Rádio e TV pela FAAP de São Paulo, Terra tem pós-graduação em Administração pela FGV e especialização em empreendedorismo pelo IBMEC-SP. Diretor de TV e vídeo, o profissional atua como produtor desenvolvendo novos formatos televisivos e multiplataforma, além de prestar consultoria na área de comunicação e conteúdo transmídia.

O módulo falará sobre temas de interesse dos profissionais da área, entre eles, como deve ser desenvolvido um projeto transmídia, incluindo a importância da audiência na construção e manutenção de projetos inovadores, abordará também a definição das múltiplas plataformas de mídias e a apresentação das principais janelas e suportes adequados aos projetos, assim como alguns exemplos e cases internacionais.

O programa Objetiva – Empreendedorismo em Foco conta com a parceria do SIAESP (Sindicato da Indústria Audiovisual do Estado de São Paulo) e da ABPITV (Associação Brasileira de Produtoras Independentes de Televisão). Mais informações pelos emails regina@apro.org.br e paulasanches@apro.org.br.

O Canal Brasil transmite, nesta terça-feira (01/09), às 20h45, a 14ª edição do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, com apresentação de Simone Zuccolotto e comentários de Luiz Zanin e Roger Lerina, direto do Centro Cultural Severiano Ribeiro (ODEON), no Rio de Janeiro. A transmissão também acontece no site do canal (www.canalbrasil.com.br). O repórter Kiko Mollica registra a chegada dos convidados no tapete vermelho. A direção fica a cargo de Marcus Vinícius Cezar.

O evento contará com uma homenagem a Roberto Farias. Com uma extensa carreira no cinema e na televisão, o diretor comandou clássicos da sétima arte nacional como “Rico Ri à Toa” (1957), “O Assalto ao Trem Pagador” (1962) e “Pra Frente Brasil” (1982). Na TV, foi responsável por minisséries e programas da TV Globo como “A Máfia no Brasil” (1984), “As Noivas de Copacabana” (1992), “Contos de Verão” (1993), “Menino do Engenho” (1993) e “Memorial de Maria Moura” (1984).

No período de 5 a 26 de setembro, aos sábados, das 14h às 17h, o Sesc Bom Retiro realizará uma reflexão acerca do cinema argentino. Será ministrado o curso História do Cinema Argentino, além de uma mostra de filmes argentinos, entre os dias 8 e 23 de setembro, terças e quartas, às 19h, com temáticas que variam entre humor, romance, relações familiares e política.

Em quatro encontros, serão discutidos: a adaptação ao processo de cinema sonoro; a inauguração dos primeiros estúdios; a modernização da linguagem; e a influência da repressão política, censura, e redemocratização do país no cinema. Vanderlei Henrique Mastropaulo, pesquisador latino-americano e Mestre em Comunicação e Cultura pela Universidade de São Paulo, ministrará o curso de cinema. Durante as conversas, também serão apresentados trechos de filmes marcantes na história do cinema argentino.

O primeiro filme da mostra será Conversando com Mamãe, dia 8 de setembro, terça, às 19h, de Santiago Carlos Oves, sensível comédia que tem em seu elenco Eduardo Blanco, China Zorilla e Ulises Dumont, três dos mais marcantes atores do país. Os problemas econômicos servem de ponto de partida para que Jaime se reaproxime de sua mãe e, de certa maneira, repense sua própria vida.

Dia 9 de setembro, quarta, às 19h, é a vez do O Crítico, estreia de Hernán Guerschuny, que é ao mesmo tempo sátira e homenagem às comédias românticas, gênero que impregnou o imaginário do público de cinema e é odiado pelo personagem principal do filme, um crítico implacável cujas manias todos somos capazes de reconhecer em alguém próximo a nós.

Na segunda semana, dois filmes recuperam o “road movie”, mas com cores e ares platinos. Las Acacias, dia 15 de setembro, terça, às 19h, estreia de Pablo Giorgelli, chamou atenção mundial ao ganhar a Caméra d’Or, no Festival de Cannes, em 2011, com a singela história de Rubén, caminhoneiro solitário que se vê obrigado a dar carona para uma desconhecida no trajeto entre Assunção, no Paraguai, e Buenos Aires. O outro filme é Filha Distante, mais recente trabalho de Carlos Sorín, mestre das “histórias mínimas”, que além de abordar a reaproximação familiar, registra a viagem de muitos quilômetros feita por um pai para rever a filha. Las Acacias e Filha Distante usam o deslocamento como metáfora de uma jornada de redescoberta. Ambos encantam pelas emoções contidas, pelos silêncios, expectativas e recompensas. São obras discretas, de personagens comuns, mas que guardam grandes pequenas histórias.

A terceira e última semana conta com o humor negro. Dia 22 de setembro, terça, às 19h, o público poderá assistir ao O Homem ao Lado, da dupla Gastón Duprat e Mariano Cohn. Dois vizinhos se obrigam a uma convivência desconfortável, após um deles abrir uma janela para o lado da propriedade do outro sem consentimento. Os desdobramentos deste incidente expõem a falta de vontade ao diálogo e à compreensão, típicas dos tempos atuais.

Fechando a mostra, dia 23 de setembro, quarta, às 19h, será exibido Relatos Selvagens, de Damián Szifrón, composto de seis episódios com suspense e a comédia de humor negro. Seus personagens mergulham em diversas situações limite: uma irracional discussão de trânsito, a via crucis da burocracia institucional, a impunidade e o abuso de poder, uma caótica cerimônia de casamento. O filme levou mais de 2,5 milhões de argentinos aos cinemas, confirmando-se como uma das maiores bilheterias do país.

Todas as apresentações são gratuitas, com retirada de ingressos com uma hora de antecedência e de classificação indicativa livre. O endereço do Sesc Bom Retiro é Al. Nothmann,185. Mais informações pelo telefone 3332-3600 ou pelo portal www.sescsp.org.br/bomretiro.