Yves Bigot, CEO da TV5 Monde, esteve no RioContentMarket para anunciar que a emissora está em busca de parcerias com produtoras brasileiras. Marco Altberg, presidente da Associação Brasileira de Produtoras Independentes de TV (ABPITV), conduziu o encontro e posicionou o Brasil de forma aberta às propostas do canal.

Além de membros do Brazilian TV Producers (BTVP), programa de exportação da ABPITV em parceria com a Apex-Brasil, diversos representantes de produtoras participaram da reunião e esclareceram detalhes sobre os objetivos da TV5. Segundo o executivo, há interesse pelos mais variados tipos de conteúdo, incluindo séries, documentários, animações, programas esportivos e noticiários.

O Canal Brasil prepara uma mudança em sua grade: a partir de março, a faixa das 22h será sempre dedicada a um filme, todos os dias da semana. Já neste domingo, dia 1º, a faixa “Cone Sul” sai de meia-noite para estrear no novo horário, com o longa “Un Oso Rojo”, do uruguaio Adrián Caetano.

Entre as novidades do mês, estão produções inéditas e exclusivas como “A História da Eternidade” (2014), de Camilo Cavalcante, “Estação Liberdade” (2014), de Caíto Ortiz, e “A Alma da Gente” (2013), de Helena Solberg e David Meyer. Outro destaque dessa nova leva é o documentário “Mario Lago” (2013), de Marco Abujamra e Markão Oliveira, que conta a vida de um dos maiores expoentes da cultura brasileira do século XX.

Ainda no mês de aniversário da cidade do Rio de Janeiro, o canal exibe a “Mostra Rio 450 Anos” a partir do dia 5 com filmes que têm como temática a Cidade Maravilhosa, sempre às quintas e sextas. Entre as produções, estão o longa inédito “Rio 50 Graus” (2014) e outros como “Orfeu” (1999), “Malu de Bicicleta” (2010), “Bossa Nova” (1999) e “Pequeno Dicionário Amoroso” (1996).

As tradicionais faixas que já ocupavam a faixa das 22h às segundas, terças e quartas, respectivamente, serão mantidas no horário: “É Tudo Verdade”, dedicada a documentários; “Seleção Brasileira”, com produções da nova safra do cinema brasileiro; e “Retomada” que, como o título sugere, exibe filmes da chamada retomada do cinema nacional.

Considerada a primeira romancista moderna da literatura inglesa, Jane Austen começou seu segundo romance, Orgulho e Preconceito, antes dos 21 anos de idade. Assim como em outras obras de Austen, o livro, publicado em 28 de janeiro de 1813, é escrito de forma satírica.

Orgulho e Preconceito pode ser considerado como especial, pois transcende o preconceito causado pelas falsas primeiras impressões e adentra na avaliação psicológica dos personagens, mostrando como o autoconhecimento, ou a falta dele, pode interferir nos julgamentos errôneos feitos com relação às outras pessoas. Jane Austen revela certas posturas de seus personagens em situações cotidianas que, muitas vezes, causam momentos cômicos aos leitores, dando um caráter mais leve e satírico ao livro. As emoções e sentimentos devem ser decifrados por quem decidir mergulhar na obra, visto que se apresentam encobertos nas entrelinhas do texto. A escritora inglesa apresenta seu poder de expressar a discriminação de maneira sutil e perspicaz em Orgulho e Preconceito; capaz de transmitir mensagens complexas valendo-se de seu estilo a um tempo simples e espirituoso.

O tema principal de Orgulho e Preconceito é contemplado logo na frase inicial, quando a autora menciona que um homem solteiro e possuidor de grande fortuna deve ser o desejo de uma esposa. Com esta citação, Jane Austen faz três referências importantes: a autora declara que o foco da trama será os relacionamentos e os casamentos, dá um tom de humor à obra ao falar de maneira inteligente acerca de um tema comum e prepara o leitor para caçadas de jovens solteiros  perseguindo pretendentes. O romance retrata a relação entre a jovem Elizabeth Bennet (Lizzy) e o nobre Fitzwilliam Darcy na Inglaterra rural do século XVIII. Lizzy possui outras quatro irmãs, nenhuma delas casadas, o que Mrs. Bennet, mãe de Lizzy, considera um absurdo.

Quando Mr. Bingley, jovem bem sucedido, aluga uma mansão próxima da casa dos Bennet, Mrs. Bennet vê nele um possível marido para uma de suas filhas. Enquanto Mr. Bingley é visto com bons olhos por todos, Mr. Darcy, por seu jeito frio, é mal falado. Lizzy, em particular, desgosta imensamente dele, por ele ter ferido seu orgulho na primeira vez em que se encontram. A recíproca não é verdadeira. Mesmo com uma má primeira impressão, Darcy realmente se encanta por Lizzy, sem que ela saiba do fato. A partir daí, o livro mostra a evolução do relacionamento entre eles e os que os rodeiam, mostrando também, desse modo, a sociedade do final do século XVIII.

Considerado a obra-prima de Jane Austen, Orgulho e Preconceito ganhou diversas versões para o cinema e televisão, sendo a mais recente e aclamada a versão de 2005, com interpretações de Keira Knightley e Matthew Macfadyen nos papéis principais, que ilustra a capa da nova edição que a editora Landmark lança agora, no ano em que se comemora os 240 anos do nascimento da autora, com capa dura, bilíngue e nova introdução.

Sobre a autora: Jane Austen (1775-1817), escritora inglesa proeminente, é considerada como uma das maiores figuras da literatura inglesa, ao lado de William Shakespeare, Charles Dickens e Oscar Wilde. Ela representa o exemplo de escritora, cuja vida protegida e recatada em nada reduziu a estatura e o dramatismo da sua ficção. Nasceu na casa paroquial de Stevernton, Inglaterra, onde o pai era o sacerdote, vivendo a maior parte do tempo nessa região. A fama de Jane Austen perdura através de seis obras-primas principais: Razão e Sensibilidade (1811), Orgulho e Preconceito (1813), Mansfield Park (1814), Emma (1815), Persuasão (1818) e A Abadia de Northanger (1818), publicados postumamente. Lady Susan (escrito entre 1794 e 1805), The Brothers (iniciado em 1817, deixado incompleto e publicado em 1925 com o título Sanditon) e Os Watsons (escrito por volta de 1804, deixado inacabado, terminado por sua sobrinha Catherine Hubback e publicado na metade do século XIX, com o título The Younger Sister) são outras de suas obras. Deixou ainda uma produção juvenília, uma peça teatral, Sir Charles Grandison, or the Happy Man: a Comedy in Six Acts, poemas, registros epistolares e um esquema para um novo romance, intitulado Projeto de um Romance.

Orgulho e Preconceito
Autora: Jane Austen
Tradução: Marcella Furtado
Editora: Landmark
Páginas: 448
Preço: R$ 32,00

A Caixa Cultura São Paulo traz para a cidade o Teste de Audiência, atividade que existe há nove anos em Brasília e já foi realizada em Curitiba. Aqui em São Paulo, as sessões acontecerão toda primeira terça-feira do mês, no Caixa Belas Artes, com ingressos a R$ 2,00.

O primeiro longa-metragem a ser testado é a cinebiografia Vilanova Artigas, com direção de Laura Artigas (neta do arquiteto) e do cineasta Pedro Gorski. O filme, inspirado na trajetória do arquiteto João Batista Vilanova Artigas, que completaria 100 anos neste ano, reúne relatos de especialistas e de profissionais que conviveram com o arquiteto. Curitibano radicado em São Paulo, Vilanova se destacou pelo estilo “escola paulista” ou “escola brutalista”, assinatura que pode ser conferida no edifício da FAU – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, em São Paulo, projeto assinado por ele, fundado em 1948.

Mais de 80 longas-metragens nacionais já passaram pelo Teste de Audiência antes de estrearem nas salas de cinema, entre eles, “Cidade dos Homens”, de Paulo Morelli, “É Proibido Fumar”, de Anna Muylaert, “Tropicália”, de Marcelo Machado, “Eu Receberia as Piores Notícias dos seus Lindos Lábios”, de Beto Brant e Renato Ciasca, e outros.

Em São Paulo, serão testados 10 longas-metragens neste ano. Para participar, diretores interessados podem inscrever, gratuitamente, seu longa em formato aberto para o e-mail da curadoria do Teste de Audiência: Marcio Curi – mccuri@gmail.com e Renato Barbieri – renato@gayafilmes.com.

O projeto aceita inscrições de longa-metragem em todos os gêneros cinematográficos, como documentário, ficção e animação. E é fundamental que o diretor tenha disponibilidade para acompanhar a sessão e debater com o público após a exibição do filme.

Mais informações na página do evento, testedeaudiencia.com.br.